Desemprego atinge 7,5% em julho, revela IBGE

A taxa é superior ao nível de 6,9% de junho

Por Agência Brasil

Carteira de trabalho

A taxa de desemprego nas seis das principais regiões metropolitanas do país chegou a 7,5% em julho deste ano, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada nesta quinta-feira (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa é superior ao nível de 6,9% de junho deste ano e ao índice de 4,9% de julho de 2014.

O índice é também o mais alto para o mês de julho desde 2009, quando foi registrada uma taxa de 8%. A população desocupada ficou em 1,8 milhão, crescimento de 9,4% em relação a junho deste ano e de 56% em relação a julho de 2014. Isto significa que mais 662 mil pessoas buscaram trabalho entre julho do ano passado e julho deste ano.

A população ocupada ficou estatisticamente estável em ambas as comparações temporais, em 22,8 milhões de pessoas. A PME inclui as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Belo Horizonte e Porto Alegre.


Deprecated (16384): Accessing `here` as a property will be removed in 4.0.0. Use request->getAttribute("here") instead. - /home/amanha/www/src/Template/Posts/view.ctp, line: 173 You can disable deprecation warnings by setting `Error.errorLevel` to `E_ALL & ~E_USER_DEPRECATED` in your config/app.php. [CORE/src/Core/functions.php, line 311]/posts/view/969" data-widget-id="AR_1" data-ob-template="RevistaAmanha">

leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

"Carnaval à vista" - Embora reconheça a exuberância da festa carioca, é para o eixo Recife-Olinda que se voltam meus afetos

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A dose certa de otimismo em sua equipe - Os otimistas não podem ser confundidos com os acomodados

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A flexibilidade no trabalho veio para ficar? - É preciso calma e maturidade ao analisar essa tendência

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: