Notice (8): Trying to get property of non-object [APP/Template/Posts/view.ctp, line 11]

Vamos pegar um latão?

Grife nascida da fusão da LAN com TAM faz referência a um meio de transporte menos rápido, algo por si só ruim

Por Lígia Fascioni

Vamos pegar um latão?

Como anunciado desde 2012, finalmente a fusão da TAM com a chilena LAN Airlines tomou forma de marca própria sob o infeliz (na minha opinião) nome de LATAM. A inconveniência do nome já é discutida há três anos, então não foi uma decisão tomada às pressas. Foi de caso pensado mesmo.

Para o setor aéreo, LATAM remete à América Latina. É uma associação positiva e até desejável. O problema é que em português a palavra é muito próxima foneticamente de “latão”, o apelido carinhosamente usado pelos brasileiros para ônibus em estado precário de conservação.

Uma referência a um meio de transporte menos rápido e tecnologicamente não tão desenvolvido já é por si só ruim; mas ainda fica pior se a referência for estendida à ideia de enlatado, que é como as pessoas costumam se sentir ao viajar atualmente na maioria das companhias aéreas.

Além disso, latão é uma liga de cobre e zinco, não utilizada em escala na construção de aeronaves (a carcaça utiliza alumínio, fibras de vidro e carbono, que são materiais mais leves e resistentes). Ou seja, além de tudo, latão é um material ultrapassado e inadequado para aviação.

Com isso, temos várias associações negativas à palavra e apenas uma positiva. Sabe-se que uma marca é constituída por seu nome, sua marca gráfica e, com peso maior, pela experiência do cliente. De nada vale um nome excelente se a marca gráfica for mal construída ou se tudo for lindo, mas o serviço for horrível. Marcas amadas são uma combinação desses três componentes.

A marca gráfica parece bem resolvida, mas a empresa tem um grande desafio a superar por causa da escolha do nome (um esforço totalmente desnecessário, penso eu, se a escolha recaísse sobre um nome menos comprometedor).

Agora é esperar pela superação das expectativas no serviço oferecido. Perigoso, pois basta um mínimo deslize e “LATAM” vai virar sinônimo de empresa aérea ruim.

Vamos acompanhar.


leia também

Bendito caso - parte 1 - Com medo que a moça contratasse um designer que usa os concorrentes como exemplo, decidi assumir a tarefa

Bendito caso - parte 2 - Para nossa surpresa, o Leve Design entrou na brincadeira e participou da construção da identidade visual

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: