Dólar precisa subir mais 9% para superar níveis de 2003

Hoje em dia, praticamente tudo está pressionando a moeda para cima

Por Infomoney

Dólar precisa subir mais 9% para superar níveis de 2003

O dólar voltou a disparar na segunda-feira (27) e chegou a 6% de alta em cinco pregões, renovando assim seu maior patamar desde 28 de março de 2003, quando era cotado a R$ 3,3620. Nesta terça-feira (28), a moeda norte-americana fechou o dia cotada a R$ 3,3680 (+0,17%).

Mesmo que a divisa dispare mais 9% nos próximos dias ou meses, não conseguirá superar o nível visto durante fevereiro e março daquele ano. Apesar de não estender a máxima para um período maior, para que a comparação fique acima de 12 anos, é preciso que o dólar chegue a incríveis R$ 3,6680 – o que pode acontecer dentro de cinco meses.

Hoje em dia, praticamente tudo está pressionando o dólar para cima, desde a tensão política no Brasil, incluindo a atual crise econômica, até o cenário de baixo crescimento na China. Para piorar, aumentam cada vez mais as chances do Federal Reserve elevar os juros nos EUA em seu encontro de setembro. Após iniciar 2003 no patamar de R$ 3,50, o dólar rapidamente disparou, chegando aos R$ 3,66 no início de fevereiro. Apesar disso tudo, a moeda norte-americana fechou aquele ano com forte queda de 18%, cotado a R$ 2,90.


leia também

A América Latina e o desafio da desvalorização de moedas - Governos devem ajustar políticas ao novo contexto internacional

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A crise no terceiro parceiro comercial do Sul - Casa Rosada anuncia pacote econômico. Indústria brasileira começa a evitar vendas a prazo na Argentina

A empresa vai quebrar. E agora? - A resposta não é simples, pois envolve algumas questões muito subjetivas

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: