Cargolift Logística deve faturar 13% a mais neste ano

Prospecção de novos contratos contribuirão para o resultado

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Cargolift Logística deve faturar 13% a mais neste ano

A Cargolift (foto), empresa do ramo de logística e transportes, registrou um faturamento de R$ 148,2 milhões até junho, um aumento de 33% sobre igual período de 2018. Quando dezembro chegar, a companhia paranaense espera alcançar receita bruta de R$ 249,2 milhões, valor que significará um avanço de 13,6% sobre o exercício de 2018. Confiança na economia brasileira e inovação foram as grandes responsáveis pelo crescimento, de acordo com avaliação da Cargolift – tanto que a empresa inaugurou, ainda em janeiro, uma filial em São Bernardo do Campo (SP) para atender a demanda. Em outubro entrará em funcionamento a nova unidade da companhia em Osasco (SP), especializada em produtos químicos, a 14ª unidade em operação no Brasil, que tem abrangência de Pernambuco ao Rio Grande do Sul. 

Prospecção de novos contratos, aumento de volumes nos clientes corporativos, foco nos fretes em rotas de melhor produtividade e serviços personalizados em soluções logísticas têm sido outras ações práticas para trazer maior receita ao caixa. Por causa disso, o CEO Markenson Marques prevê que o volume de trabalho deve aumentar ainda mais de agora até dezembro. “A empresa acredita no crescimento da economia brasileira por observar decisões e ações acertadas do governo, seja na política econômica e no ajuste fiscal, no apoio responsável do congresso nacional às reformas inadiáveis, a iniciar pela nova previdência já aprovada e à reforma fiscal, além de um amplo programa de desburocratização para a atividade empresarial. Por esta razão investimos R$ 25 milhões em renovação de frota no início deste ano e pretendemos investir mais, vislumbrando, obviamente, crescimento", destaca. No entanto, Marques se mostra angustiado com a logística brasileira. “Minha única preocupação é a burocratização criada para o empresário empreender. Para abrir uma filial em São Paulo, a Sefaz demanda mais de 90 dias. E, a cada final de ciclo de 30 dias úteis, faz uma exigência documental. Esperamos que os governos estaduais e municipais adotem o mesmo programa de desburocratização do governo federal e digitalizem processos desviando-os dos burocratas”, cobra. 

Até junho, a empresa assinou cinco novos contratos com multinacionais. Para a SIG Combibloc, fabricante de embalagens cartonadas assépticas, a empresa passou a fazer 100% do transporte de contêineres. Em abril a transportadora passou a atender a Arlanxeo, a partir de sua unidade na região nordeste. Também foi iniciada a operação de transporte com a francesa Valeo. Outros contratos também estão sendo assinados, segundo o diretor comercial da companhia, Ramon Fressato Henche. "Finalizamos as negociações com a japonesa Denso, para a qual a Cargolift fará o transporte de contêineres a partir deste semestre. Isso representará pelo menos mais 5% de crescimento no faturamento de 2019, e é com este aumento que bateremos os 40% previstos”, anuncia. Outro importante aporte da transportadora é em projetos de inteligência artificial. Segundo o diretor administrativo financeiro da Cargolift, também responsável pela área de TI, Rafael Mansur, em 2019 a empresa investiu em tecnologia cerca de 20% do resultado bruto do ano anterior. "Os aportes chegarão, nos próximos meses, a R$ 7 milhões. Isso nos ajudará ainda mais no monitoramento dos caminhões, otimização de processos, definição de rotas entre outras coisas”, justifica.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: