Investimento da Copel reforça rede elétrica de Curitiba

Obras de R$ 174 milhões atenderão demanda das próximas décadas

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Investimento da Copel reforça rede elétrica de Curitiba

A rede elétrica de Curitiba foi reforçada e preparada para a demanda das próximas décadas com dois empreendimentos da Copel, que somam R$ 174 milhões em investimentos. A subestação Curitiba-Centro (foto) e a linha de transmissão de energia subterrânea da Avenida Comendador Franco foram inauguradas nesta terça-feira (17) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero.

Ratinho Junior confirmou a prioridade de investimento da Copel no Estado, ressaltou o crescimento de 7,2% da produção industrial paranaense nos primeiros sete meses de 2019 e a valorização de 151% das ações da companhia na Bolsa de Valores em um ano. “Queremos investimentos da Copel para o Paraná, dentro de casa. Por muitos anos os recursos foram aplicados fora do Estado. Enquanto uma granja de frango ainda estiver recebendo energia monofásica e não puder abrir uma nova fábrica em função disso, não teremos feito a lição de casa”, afirmou. 

A subestação e a linha de transmissão operam em alta-tensão (230 mil volts) e beneficiam diretamente cerca de 80 mil unidades consumidoras da região central da Capital. É a 18º subestação de transmissão de alta-tensão de Curitiba. Além do reforço na rede elétrica, as obras permitiram a retirada das torres da Avenida Comendador Franco. A linha enterrada tem oito quilômetros de extensão e é uma das maiores redes subterrâneas em circuito duplo do Brasil. “A tecnologia de cabeamento subterrâneo é a mais moderna do país. Isso faz com que as residências, comércios e indústrias possam continuar crescendo. Teremos capacidade de ampliação para atender Curitiba e Região Metropolitana”, afirmou Slaviero. O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, citou que a subestação fica localizada na antiga sede da primeira usina termoelétrica da cidade, responsável pelo abastecimento elétrico dos primórdios da capital. “É um presente para Curitiba. Garante eletricidade contínua e estável para a cidade, mesmo diante de tempestades”, destacou.

Curitiba e Região Metropolitana são atendidas majoritariamente por subestações e linhas de transmissão de 69 mil volts. A substituição gradual dessa rede por circuitos que operam em tensões maiores, entre 138 mil volts e 230 mil volts, torna o sistema menos vulnerável a desligamentos e mais adequado ao crescimento das cidades, principalmente aquelas conurbadas. A Avenida Comendador Franco (antes conhecida como Avenida das Torres) liga Curitiba a São José dos Pinhais. A nova rede de alta-tensão passa por tubulações enterradas no canteiro central que, com a retirada das torres, poderá ser utilizado urbanisticamente. Para desativar a linha antiga foram retiradas 25 torres, 20 superpostes e 42 quilômetros de cabos condutores. O trabalho durou cerca de dois anos. As torres foram instaladas em 1931 e a Avenida chegou em 1970.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: