Design e bom gosto para todos

Conheça a história da Kappesberg, case do livro “100 Marcas do Rio Grande”

Design e bom gosto para todos

O artesanato de brinquedos e produtos em madeira ocupava as horas vagas dos amigos Celso Theisen e Carlos Sost entre os anos de 1993 e 1994. Foi nessa época que os sócios instalaram-se numa sala de 10 metros quadrados no município serrano de Salvador do Sul e deram início à Kappesberg. O sucesso da empreitada foi imediato. Em pouco mais de um ano, Theisen e Sost já haviam direcionado o empreendimento para a confecção de móveis em madeira. Num primeiro momento, a marca trabalhava com artigos sob medida, passando depois às peças seriadas. A crescente demanda exigiu o incremento da estrutura produtiva. Em 1995, a prefeitura da vizinha Tupandi acenou com incentivos e passou a contar com a primeira fábrica da Kappesberg em dezembro daquele ano.

Passados 20 anos, a Kappesberg é hoje a principal exportadora do setor moveleiro do Rio Grande do Sul, negociando seus produtos para cerca de 30 países. A empresa agigantou-se e deu origem ao Grupo K1, o maior conglomerado moveleiro da América Latina. O Grupo K1 conta ainda com a Colchões Kappesberg, a Crome (linha de mesas e cadeiras de metal), a UZ Utilidades (de utensílios domésticos) e com as redes de franquias Idélli Ambientes (voltada para a classe B) e My Home (direcionada à classe C), além das poltronas de padrão superior Belle Vie. O parque fabril de Tupandi ocupa quase 200 mil metros quadrados, e reúne 1,8 mil colaboradores. Com dois centros de distribuição, em São Paulo e Recife, a companhia garante o abastecimento a mais de 25 mil pontos de venda espalhados pelo país.

As cores do sucesso
Inicialmente posicionada para atender as classes C e D, a Kappesberg apostou na produção de móveis qualificados e com entrega ágil para conquistar espaço em seus primeiros anos de atuação. O binômio tornou-se um diferencial da marca e contribuiu para sua rápida ascensão. Tanto que, na virada do milênio, já figurava entre as principais exportadoras da região sul e ampliava sua capilaridade Brasil afora. Mas o grande salto viria em 2004, fruto de uma ousada estratégia de inovação que resultou no lançamento de móveis com cores vibrantes e incomuns. Coloridos em laranja, azul, pink e verde, os dormitórios Kappesberg agradaram em cheio crianças e adolescentes. Nessa época, a companhia realizou uma mudança em sua identidade visual. O desenho, bastante semelhante ao atual, foi modulado para exprimir a identificação da marca com o seu target prioritário, a classe C.

Em 2008, a Kappesberg experimentaria um novo êxito com a linha de cozinhas Urban. Projetada dentro de um conceito inédito de design, a assinatura Urban apresenta peças de traços modernos e retilíneos, empregando cores inovadoras e acabamentos em alto brilho. O impacto da linha Urban elevou a Kappesberg ao status de marca lançadora de tendências no segmento de móveis seriados para a classe C. De fato, a empresa se mantém atenta ao setor moveleiro internacional e realiza pesquisas para captar as novidades dos mercados expoentes, tratando de filtrá-las e adaptá-las ao gosto e à necessidade do consumidor brasileiro. Ator principal na consolidação da Kappesberg, o design aparece em destaque no slogan da empresa. Design e bom gosto para todos é a frase que sintetiza a preocupação em oferecer soluções acessíveis em móveis e acabamentos diferenciados, num padrão de qualidade classe A. Essa orientação permeia todo o processo produtivo, desde a idealização e concepção das peças, e reflete o alinhamento da Kappesberg a um movimento mundial que prega a democratização do design como vetor de soluções originais.

A companhia fomenta uma verdadeira cultura de qualidade e a repassa a seus colaboradores. A equipe torna-se ciente da missão de empenhar-se ao máximo para fabricar produtos com a mais alta eficácia e beleza. A necessidade de buscar constantemente a evolução em todos os quesitos é também introjetada no dia a dia, especialmente pela interação permanente entre diretores e funcionários. Ao quadro gestor cabe a sugestão de ideias e, acima de tudo, o zelo para que a imagem da marca chegue ao público dentro dos conceitos e valores delimitados. Dessa forma, a marca Kappesberg é construída de dentro para fora.

Como estratégias de fortalecimento, a organização tem optado pelas mídias de massa, figurando como patrocinadora em programas consagrados da TV brasileira. Nesses canais, a Kappesberg procura veicular-se através de merchandising e peças publicitárias de 30 segundos, visando à exposição de sua mensagem em larga escala. As ações de divulgação mais agressivas ganharam força nos últimos anos. Associados a promoções pensadas para o varejo, esses movimentos impulsionaram a procura pela marca. Os meios virtuais também ganham relevância no mix escolhido pela Kappesberg. A empresa intensifica a sua presença na web anualmente, conectando-se a milhões de internautas via site, aplicativo móvel e redes sociais. Os investimentos em PDV, mídia externa e mídia impressa especializada – com cobertura nacional – também estão contemplados no plano de comunicação.

Instalada num dos principais polos moveleiros do mundo, a Kappesberg é consciente de sua relação de dependência com o meio ambiente. Por esse motivo, a marca adota diversas medidas orientadas à sustentabilidade, aplacando possíveis impactos causados à natureza. Uma dessas políticas diz respeito à matéria-prima: os móveis Kappesberg são produzidos unicamente com madeiras de reflorestamento. A empresa também se esmera nos cuidados com o tratamento dos sistemas de esgoto e de resíduos resultantes dos processos fabris – além de utilizar apenas plástico reciclado na embalagem de seus produtos. A Kappesberg também adere a ações em prol da cidadania, destinando verbas anuais para o Fundo da Criança e do Adolescente de municípios do Vale do Caí. Esses recursos são posteriormente revertidos em melhorias nas estruturas de escolas da região. A empresa ainda realiza aportes via projetos ligados à Lei de Incentivo à Cultura para a restauração de prédios históricos.

Descendentes de alemães, os fundadores Celso Theisen e Carlos Sost – hoje diretores e proprietários – escolheram o nome Kappesberg em homenagem à cidade de Salvador do Sul, onde a empresa nasceu. A região era assim chamada pelos primeiros germânicos que lá chegaram, ainda no século 19. A palavra traduz-se numa composição de substantivos: Berg significa morro; já Kappes ganha diversas conotações e pode relacionar-se a topo ou cabeça.

A logotipia atual da Kappesberg é composta por um lettering de traços elegantes, afilados e sem serifas, que imprime os valores de inovação, modernidade, tecnologia e jovialidade – atributos presentes nos produtos oferecidos pela Kappesberg aos consumidores da classe C. De energia vibrante e contagiante, o vermelho foi escolhido para colorir a identidade visual e mostra-se marcante e de fácil visualização.

Melhorar cada vez mais e garantir a liderança no mercado de fabricação de móveis seriados para a classe C são as principais metas da Kappesberg para os próximos anos. Mas a empresa de Tupandi mostra-se diferenciada até no seu entendimento quanto ao posto de “número 1”. O topo desse segmento não se restringe a volumes e vendas. Estar à frente dos demais tem um significado maior: para a Kappesberg, líder é aquele que melhor supre os desejos de seu consumidor.

leia também

A arte da conquista - Algumas das marcas mais lembradas pelos gaúchos ensinam como conquistar o exigente mercado do sul

A dádiva de servir à saúde - Conheça a Farmácias São João, um dos cases do livro “100 Marcas do Rio Grande”

A fantástica fábrica de perfumes - Saiba como surgiu a colônia Acqua Fresca, sucesso d'O Boticário

A grife gaúcha dos eletrodomésticos - Conheça a Venax, case do livro “100 Marcas do Rio Grande”

Aprendendo marketing com “De volta para o futuro” - Por que não existem ainda os skates voadores da ficção?

As marcas boas de bola do Sul - Dupla Grenal tem as grifes mais valiosas da região

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: