Vendas na Expointer somam quase R$ 2,7 bilhões

O único setor que apresentou decréscimo foi o da pecuária

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Vendas na Expointer crescem 17,3% em relação ao ano passado

O balanço dos resultados da 42ª Expointer, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, foi divulgado na tarde deste domingo (1). O total de negócios cresceu 17,3% em relação ao ano passado – foram R$ 2,69 bilhões nesta edição. No setor de máquinas e implementos, o mais rentável da feira, a comercialização chegou a R$ 2,5 bilhões – crescimento de 11,4% em relação ao arrecadado pelo setor em 2018. Neste ano, as entidades decidiram separar em uma nova categoria o setor automobilístico, que arrecadou R$ 139,5 milhões. Anteriormente, estava incluso na soma do segmento de máquinas e implementos – a arrecadação individual do setor, em 2018, foi de R$ 101,1 milhões, o que contabiliza aumento de 28% neste ano.

O único setor que apresentou decréscimo foi o da pecuária. Com relação às vendas de 2018, a comercialização de animais caiu 18% – o total de vendas alcançou R$ 8,4 milhões. Um dos motivos pelos quais houve queda foi a suspensão de leilões de cavalo crioulo e de terneiros, organizado pela Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul). Caso os leilões tivessem ocorrido, teria havido acréscimo de cerca de R$ 1 milhão na comercialização de animais. "A origem da feira é a pecuária. Vamos batalhar para, que no próximo ano, consigamos consolidar esses números, incentivando cada vez mais nossa pecuária gaúcha", garantiu Covatti Filho, secretário da Agricultura. 

O presidente da Farsul, Gedeão Pereira, o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag-RS), Carlos Joel da Silva, o presidente da Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac), Leonardo Lamachia, e o presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no RS (Simers), Claudio Bier, comemoraram o sucesso da feira. Bier, inclusive, ressaltou que o acréscimo de 17,3% nas negociações é uma façanha, uma vez as vendas do ano passado já haviam sido elevadas.

Gedeão exaltou o caráter grandioso da feira, que se propõe a debater assuntos de interesse nacional acerca do agronegócio. "A presença da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, por mais de um dia, deixa muito clara a importância da nossa exposição", argumentou. O presidente da Farsul também agradeceu ao governador pela disponibilidade de ter participado intensamente da programação da feira. Eduardo Leite transferiu o gabinete para a Casa Branca, sede do Executivo no parque, de onde despachou. 


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: