Ferroeste atinge em agosto o faturamento de 2018

Empresa quer concretizar corredor Dourados-Paranaguá

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Ferroeste atinge em agosto o faturamento de 2018

A Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste) registrou o maior faturamento de sua história atingindo de janeiro até a terça-feira, 20 de agosto, a marca de R$ 20,556 milhões. O resultado é superior a todo o ano de 2018, que registrou R$ 20,523 milhões. No ano passado, no mesmo período, a Ferroeste havia faturado R$ 14,3 milhões – o balanço deste ano é 43% superior. A empresa teve crescimento em todos os meses em relação a 2018, com destaque para janeiro, abril e maio. O balanço de maio registrou salto de R$ 1,4 milhão (ano passado) para R$ 3,1 milhões, maior diferença desse período. O resultado de abril, de R$ 3,4 milhões, foi o maior da história em um único mês da companhia. A empresa deve alcançar em dezembro um faturamento na casa de R$ 30 milhões. 

Além dos resultados alcançados, a Ferroeste mira parcerias para concretizar o corredor ferroviário Dourados-Paranaguá. O Evetea (Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental) deve ser contratado nos próximos meses.  De acordo com estudos, cerca de 10 milhões de toneladas circularam pelas ferrovias paranaenses com destino aos portos do Paraná em 2018, contra 43 milhões de toneladas transportadas por caminhões, o que mostra o desequilíbrio no escoamento. Para dar conta da crescente demanda, os investimentos a médio prazo preveem um corredor intermodal entre Cascavel e Foz do Iguaçu, com previsão de contratação de projeto e Evetea ainda para este mês e lançamento do edital em 2021. A ligação está orçada em cerca de R$ 1,6 bilhão.

O projeto prevê o transporte por via fluvial e terrestre entre Foz do Iguaçu e Cascavel pela nova perimetral leste, parte do projeto milionário da segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai, além do transporte ferroviário, o que concretizará aumento expressivo da movimentação de trens e cargas no Oeste do Paraná, ampliando a geração de emprego e o PIB estadual. Já o projeto a longo prazo prevê concretizar a ligação Dourados-Paranaguá, com a integração do trecho intermodal Foz do Iguaçu-Cascavel, que pode trazer potencial de exportação inédito ao estado. Haverá as linhas Cascavel-Guarapuava-Irati-Lapa-Litoral, cobrindo uma região estratégica. A nova ligação teria 1 mil quilômetros. A ideia é que 50 milhões de toneladas de cargas, entre exportações e importações, sejam transportadas por este ramal.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: