Guedes tem intenção de criar imposto sobre transações

O novo tributo deverá ter uma alíquota de 0,22%

Da Redação, com Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Guedes tem intenção de criar imposto sobre transações financeiras

O ministro da Economia, Paulo Guedes (foto), confirmou a intenção do governo federal de criar um imposto sobre transações financeiras para compensar a desoneração da folha de pagamentos. A Contribuição Social sobre Transações e Pagamentos (CSTP), como vem sendo chamado o novo tributo, deverá ter uma alíquota de 0,22%. 

“O próprio imposto sobre transações foi usado e apoiado por todos os economistas brasileiros no governo FHC. Ele tem uma capacidade de tributação muito rápida e muito intensa. Ele põe dinheiro no caixa rápido, e se ele for baixinho ele não distorce tanto”, defendeu Guedes.  “Podemos propor uma desoneração forte da folha de pagamentos a troco da entrada desse imposto. Se a classe política achar que as distorções causadas pelo imposto são piores que os 30 milhões de desempregados sem carteira que tem aí, eles decidem”, afirmou, depois de ter se reunido com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vai ouvir a opinião de Guedes, sobre a criação de um imposto sobre transações financeiras, parecido com a antiga Contribuição Provisória Sobre Movimentação Financeira (CPMF), criada no governo de Fernando Henrique Cardoso, e depois extinta. "Vou ouvir a opinião dele [Guedes]. Se desburocratizar muita coisa, diminuir esse cipoal de impostos, essa burocracia enorme", anunciou. Em declarações anteriores, Bolsonaro havia dito que não pretendia recriar a tributação. "Eu estou disposto a conversar, não pretendo, falei que não pretendo recriar a CPMF. O que ele [Guedes] complementou? A sociedade que tome decisão a esse respeito”, opinou.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: