Braskem sugere nova fórmula para preço da nafta

A proposta foi apresentada pela petroquímica há cerca de um mês

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Braskem sugere nova fórmula para preço da nafta

A Braskem está propondo uma nova fórmula para cálculo de preços da nafta com a Petrobras. O preço varia conforme as cotações do petróleo. A informação é da edição desta terça-feira (21) do jornal Valor Econômico. A proposta foi apresentada pela petroquímica há cerca de um mês ao grupo formado para discutir o novo contrato de longo prazo de fornecimento da matéria-prima. Uma nova reunião do grupo está prevista para esta terça.

Atualmente, os preços da nafta comprada pela Braskem da Petrobras estão vinculados à referência ARA (Amsterdã, Roterdã e Antuérpia), que é uma das mais caras do mundo, obedecendo a um intervalo de 92,5% a 102% dessa cotação. Pela nova proposta, o valor pago pela petroquímica à estatal não teria uma referência fixa, mas acompanharia diretamente as oscilações do petróleo, numa solução classificada como "balanceada".

“Por esse novo modelo, quando os preços do petróleo alcançarem valores que remuneram satisfatoriamente as petroleiras, como algo em torno de US$ 90 o barril, a estatal incentivaria a indústria petroquímica brasileira por meio da concessão de desconto no valor da nafta. Por outro lado, se as cotações do óleo caírem a níveis considerados baixos – como no patamar atual, em torno de US$ 50 o barril –, a petroquímica pagaria um prêmio pela matéria-prima”, explica a reportagem.

O último acordo de compra e venda de nafta firmado entre a Braskem e a estatal, de cinco anos, venceu em fevereiro do ano passado e vem sendo prorrogado por meio de aditivos de seis meses, o mais recente deles com vencimento no mês que vem. A Petrobras, de acordo com o Valor Econômico, não abriu mão até agora de repassar os custos de importação de nafta ao preço pago pela petroquímica. Com isso, em relação aos valores pagos atualmente, haveria reajuste superior a 5%.



leia também

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Ações da Braskem seguem em queda por Lava Jato - Os papéis desvalorizaram mais de 5% nesta quinta-feira

As empresas que perderam mais de R$ 1 bi na bolsa - Klabin, Braskem e Weg estão na lista da Economatica, com base em junho

Braskem e Pão de Açúcar: boas oportunidades na Bolsa - Ações estão com múltiplos baixos, revela consultoria

Conheça as dez maiores exportadoras do Sul em 2015 - Ranking do MDIC tem a catarinense Brasil Foods como líder da região

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: