Número de empresas inadimplentes sobe 5,3% no primeiro semestre

A alta do juro elevou o custo do capital

Por Agência Brasil

Número de empresas inadimplentes sobe 5,3% no primeiro semestre

O número de empresas com dívidas atrasadas subiu 5,3% no primeiro semestre, divulgaram nesta segunda-feira (20) o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Na comparação com maio, o indicador de junho ficou praticamente estável, subindo apenas 0,09%. No entanto, o total de empresas inadimplentes aumentou 8% em relação a junho do ano anterior, o segundo maior crescimento nessa comparação, desde agosto de 2013. De acordo com a CNDL, a alta da inadimplência das empresas decorre da deterioração da economia. Segundo a entidade, a forte alta dos juros reduziu o faturamento das empresas e aumentou o custo do capital.

O setor com maior crescimento no número de empresas devedoras foi serviços, com alta de 12,5% em junho, em relação ao mesmo mês do ano passado. Em segundo lugar, ficou a indústria, com aumento de 8,7%. Em relação ao estoque das dívidas, as empresas de comércio concentram quase metade das empresas devedoras (49,4%). No setor de serviços, a proporção chega a 37,2%. Segundo o levantamento, as dívidas mais antigas, com atrasos de três a cinco anos, subiu 13,8% no mês passado, em relação a junho de 2014. O número de devedores com pendências recentes, de até 90 dias de atraso, aumentou 2,3%.

O Sudeste puxou o crescimento do número de empresas inadimplentes, com alta de 11,4% em junho, na comparação com o mesmo mês de 2014. O Nordeste ficou em segundo lugar, com variação de 10,7%. As duas regiões concentram o maior número de dívidas não pagas: 44,8% e 19,5%, respectivamente.


leia também

A América Latina e o desafio da desvalorização de moedas - Governos devem ajustar políticas ao novo contexto internacional

A empresa vai quebrar. E agora? - A resposta não é simples, pois envolve algumas questões muito subjetivas

Anefac: juros sobem pelo 16º mês seguido - Bancos elevam taxas para compensar aumento da inadimplência

Aumento de empresas inadimplentes perde força - Abrandamento ocorre devido ao crédito restrito

Banco Central sinaliza fim de alta do juro - Copom deve se manter vigilante em caso de desvio da meta de inflação

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: