Mondelez utiliza 43% de cacau sustentável na produção

Fábrica em Curitiba receberá parte da matéria-prima

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Fábrica em Curitiba receberá parte da matéria-prima

A Mondelez International atingiu a marca de 43% de cacau proveniente de fontes sustentáveis em sua produção de chocolates. O dado consta no Relatório Anual de Impacto que a empresa acaba de divulgar, que apresenta progresso significativo em direção às metas de impacto para 2020. A meta da companhia é que, dentro de cinco anos, 100% do volume de cacau necessário para as marcas de chocolate serão advindos do programa global de sustentabilidade da empresa, o Cocoa Life. 

O programa, criado em 2012, ajuda a criar uma cadeia próspera de suprimento de cacau, aumentando a produtividade das fazendas existentes e a resiliência das comunidades que cultivam o fruto, bem como prevenindo o desmatamento. A fábrica de Curitiba (foto), no Paraná, receberá parte do cacau sustentável que virá do Cocoa Life e utilizará na produção de marcas icônicas de chocolates, como inovações de Bis e Sonho de Valsa, entre outras. O relatório revela ainda que, em nível global, a empresa reduziu em 10% as emissões absolutas de CO2 e em 22% o consumo de água em locais onde seu fornecimento é mais escasso, além de reduzir 59,6 mil toneladas de embalagens e em 13% a redução do desperdício total durante o processo de produção.  No ano passado, a planta curitibana registrou redução de 20,5% de CO2 e de 12,3% de água em relação a 2013, tendo previsão de utilizar 100% de energia renovável até 2020.  

No Brasil, o Cocoa Life atua em dois estados: Pará e Bahia.  No Pará, é liderado em parceria com a The Nature Conservacy (TNC), com o projeto “Cacau Floresta”, que investirá cerca de US$ 600  mil (aproximadamente R$ 2,4 milhões) até 2022 na capacitação dos produtores e criação de comunidades de cacau prósperas e independentes. “Nosso objetivo é incentivar a agricultura familiar, gerar benefícios sociais e econômicos, melhorar a qualidade do cacau e engajar agricultores com práticas sustentáveis, de zero desmatamento. Nos dá muita satisfação saber que estamos no caminho certo e impactando positivamente centenas de famílias. Não desviaremos nossa atenção até atingirmos todas as metas estabelecidas para 2022”, avalia Jens Hammer, líder do Cocoa Life no Brasil.


comentarios




José Souza

Parabéns! Que grande incentivo para a cacauicultura em nosso país. Cresci na região cacaueira em Ilhéus, na Bahia 1976) eme formei na Escola Agrícola EMARC-UR, hoje IF Campus Uruçuca, em 1989 como técnico agropecuário. Ttenho como paixão essa cultura. Moro em Casimiro de Abreu (RJ), cidade na qual estamos ingressando com um pequeno projeto de cacau com produtores familiares via Pronaf. Estamos iniciando com recursos próprios almejando incentivo para a sustentabilidade.

Comentar

Adicione um comentário: