Grupo Bitcoin Banco denuncia golpe de R$ 50 milhões

Quadrilha de fraudadores envolve mais de 30 pessoas

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Grupo Bitcoin Banco denuncia golpe de R$ 50 milhões

A Delegacia de Estelionato de Curitiba recebeu denúncia do Grupo Bitcoin Banco (GBB) sobre um esquema de fraude que vinha fazendo saques duplicados, valendo-se de uma vulnerabilidade na plataforma de operações de compra e venda de criptomoeda. Cerca de 30 nomes já foram identificados e apresentados ao delegado Emanoel David, para abertura de inquérito.  Apenas um dos fraudadores conseguiu sacar R$ 2 milhões ilegalmente, mas o montante total do golpe deve chegar a R$ 50 milhões assim que todos os nomes envolvidos forem identificados. Para isso, os técnicos estão consultando toda a base de dados e movimentações feitas nos últimos três meses nas exchanges NegocieCoins, TemBTC e BATExchange, que somam mais de 100 mil clientes. 

A investigação interna do grupo, que tem sede em Curitiba e é dono das duas maiores corretoras de bitcoins do Brasil, vem sendo feita desde meados de maio, quando surgiram as primeiras suspeitas sobre o golpe. Os técnicos da área de TI identificaram súbito aumento de patrimônio de alguns clientes, decorrente de operações suspeitas de trade (compra e venda de criptomoeda). Para evitar mais prejuízos com saques fraudulentos, o Bitcoin Banco adotou a operação manual dos pagamentos solicitados, o que gerou lentidão no atendimento aos clientes desde o dia 16 de maio. Com isso, conseguiu monitorar cada pedido feito e começar a identificar os fraudadores. O ritmo mais lento, por sua vez, acabou provocando um acúmulo atípico de solicitações de saques e até mesmo o cancelamento de algumas ordens de venda. Operações que levavam até 24 horas passaram a demorar, em alguns casos, até 96 horas, situação agravada nesta semana com o encerramento abrupto da conta das corretoras pelo banco Brasil Plural. 

Além de trazer prejuízo para a empresa, a ação criminosa também atrapalhou a vida dos clientes, que estão tendo que esperar por mais tempo para fazer seus investimentos e saques, tanto em reais quanto em criptomoedas. Mas o grupo garante que não haverá qualquer prejuízo para os clientes, que foram inclusive isentados de taxas bancárias cobradas em operações que tiveram que ser canceladas no domingo, dia 19. Além da denúncia à Polícia Civil, o GBB adotou outras providências emergenciais para conter a fraude e regularizar as operações. A empresa optou por não suspender as operações de trade e transferências interexchanges. Serão suspensos apenas os depósitos e saques externos nesta segunda-feira (27) e terça-feira (28). 


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: