Laura é finalista em programa de aceleração da ONU

Startup paranaense gerencia dados em hospitais

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Startup Laura, do Paraná, é finalista em programa de aceleração da ONU

A startup paranaense Laura foi selecionada para o Accelerate 2030, programa global feito pelo Impact Hub e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), com o objetivo de escalar globalmente negócios que estejam em fase de crescimento e alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). No Brasil, foram 35 selecionadas de 12 estados. 

A Laura é uma tecnologia (foto) inovadora implantada nos hospitais para identificação precoce dos riscos de infecção grave, a Sepse. O recurso, criado pelo arquiteto de sistemas Jac Fressatto após a morte de sua filha, usa a inteligência artificial e a tecnologia cognitiva para fazer o gerenciamento de dados da rotina do hospital e emitir alertas. Nos próximos meses, a equipe da Laura receberá treinamentos com foco em expansão do negócio em escala global. Nessa etapa, as três empresas que tiverem melhor desempenho serão escolhidas para representar o Brasil na fase global, que ocorre em novembro, em Genebra, Suíça. Finalistas de 16 países passarão por rodadas de negócio e serão destaque em eventos globais voltados aos ODS. 

Após o período de imersão, ainda terão nove meses de acompanhamento de organizações internacionais, como o próprio PNUD. "A gente vai ter a grande oportunidade levar para a ONU e aplicar em outros países a tecnologia da Laura, que no Brasil já conseguiu reduzir a taxa de mortalidade por sepse em 25%. Serão mais vidas salvas”, afirma Cristian Rocha, diretor de tecnologia da startup. Por meio de inteligência artificial, a Laura já ajuda a salvar dez vidas por dia em hospitais brasileiros.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: