Governo destina R$ 2 bi para pavimentação de rodovias

BR-116 e segunda ponte do Guaíba, no RS, terão recursos

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

BR-116, no Rio Grande do Sul, terá recursos do governo federal para duplicação

O governo federal vai recompor R$ 2 bilhões do orçamento do Ministério da Infraestrutura para a conclusão de obras de pavimentação e manutenção de rodovias. Os recursos extras fazem parte de um pacote de medidas anunciadas nesta terça-feira (16), em Brasília, pelo governo para atender o setor de transporte de cargas. Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, eixos de integração, onde há grande movimento de transportadores, foram mapeados. Um deles é a BR 163, importante eixo de escoamento da produção de grãos até o porto de Miritituba, no Pará.

“Não podemos admitir que, na época de chuvas, ela [a rodovia] pare e forme 50 quilômetros de fila de caminhões em atoleiros. Vamos concluir a pavimentação e o governo está permitindo, com a medida, que não vai deixar faltar recurso”, afirmou. As obras que terão recursos assegurados com a recomposição são: conclusão da BR-381(MG); conclusão da duplicação da BR-116 (foto), no Rio Grande do Sul; entrega da Segunda Ponte do Guaíba, também no RS; conclusão da pavimentação da BR-163 (PA); término da duplicação da BR-101 (BA); construção de oito pontes de concreto na BR-242 (MT); e complementação de trecho da BR-135 (MA).

Em reunião da Junta de Execução Orçamentária, na segunda-feira (15), o governo federal realocou o orçamento para o Ministério da Infraestrutura trabalhar na malha viária, além de destacar verbas para o Programa Minha Casa Minha Vida, do Ministério do Desenvolvimento Regional, e para o Projeto Acolhida, do Ministério da Defesa, que atende venezuelanos que pedem refúgio no Brasil. O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, explicou que a recomposição desses recursos será possível com o corte de despesas. “Vamos fazer um rateio com os outros ministérios, cada um vai dar sua cota de contribuição. Dentro das grandes dificuldades orçamentárias, vamos trabalhar como fazemos em casa, economizar ao máximo para garantir o mínimo indispensável”, assegurou. 


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: