Idosos puxam alta de investimentos em saúde particular no Brasil

Valor chega a R$ 155 bilhões, segundo estudo da SeniorLab

Por Martin Henkel

Idosos puxam alta de investimentos em saúde particular no Brasil

Os investimentos particulares em saúde no ano passado chegaram aos R$ 155 bilhões no Brasil, segundo estudo da SeniorLab com base em relatórios da Agência Nacional de Saúde (ANS), dados de mercado e estudos do comportamento de consumo de prevenção em saúde. Para uma população que, na média, vive mais que seus pais e muito mais que seus avós, este é o mais importante investimento. A Stanford University identificou os principais “culpados” do aumento da longevidade no mundo. São eles em ordem crescente de importância: estilo de vida, meio ambiente, genética familiar e medicina. Com a evolução que as ciências da medicina têm trazido, em breve este ranking deve mudar. A mesma universidade também lembra que 80% das mortes de causas não externas estão ligadas ao estilo de vida.

Doenças silenciosas, como hipertensão e diabetes tipo 2, além de sedentarismo e solidão, são fatores que podem prejudicar a vida saudável dos idosos. A velocidade no diagnóstico de problemas cardíacos e demais doenças ajuda a melhorar a qualidade de vida, a independência e a autonomia do idoso. Os avanços da medicina têm auxiliado os médicos a atuarem e entre eles destacamos a Medicina Nuclear. Cada vez mais procurada no Brasil e permitindo diagnósticos precoces de diversos problemas de saúde. Estima-se que a especialidade atenda cerca de dois milhões de pessoas – de todas as idades – por ano no país.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: