Mickey e Donald migram para serra gaúcha

Editora de Caxias assume quadrinhos que fizeram grandeza da Abril

Da Redação*

redacao@amanha.com.br

Culturama inicia publicação de quadrinhos de Mickey e Pato Donald

Instalada há 15 anos em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, a editora de livros infantis Culturama realizou o investimento mais ousado de sua história em março. A empresa relançou as revistas em quadrinhos “Mickey”, “Pato Donald”, “Tio Patinhas”, “Pateta” e “Aventuras Disney” no mercado. Os gibis da Disney estavam fora de circulação desde junho do ano passado, quando a Editora Abril encerrou a publicação.

A Culturama já vinha publicando outros produtos da Disney desde 2014 e tinha demonstrado interesse nas histórias do universo de Tio Patinhas antes mesmo de a Abril deixar de editá-las. Após uma negociação rápida, o contrato foi fechado em outubro do ano passado. “Como o produto vinha mal com a Abril, os representantes da Disney queriam um novo modelo mais arrojado. Não era apenas um desejo financeiro, mas também de criação um novo modelo de negócio”, recorda o diretor da empresa, Fábio Hoffmann.

A diferença começa na capa das revistas: o produto tem preço sugerido de R$ 6, mas esse valor pode flutuar conforme as necessidades dos comerciantes, que podem revender os gibis por uma quantia menor. O fator é essencial para o êxito do projeto em bazares, lojas de preço único e papelarias de bairro, pontos de venda expressivos nos negócios da empresa. Para atender à demanda do comércio popular, a editora colocou os quadrinhos em duas redes varejistas do Sul, a Casa Maria, de Porto Alegre, e a Casa China, de Curitiba.

Atendendo aos pedidos dos colecionadores, a Culturama também ampliou o escopo de distribuição e ofertou os quadrinhos em bancas e livrarias. “Fomos a primeira editora do Brasil a fazer uma distribuição independente, lidando diretamente banca por banca”, destaca Hoffmann. O número zero das revistas têm obtido bons resultados comerciais nas regiões Sul e Sudeste. São Paulo e Rio Grande do Sul estão no topo do ranking dos estados onde a Culturama tem obtido mais vendas.

Para alavancar também as assinaturas, a editora investiu na qualidade do produto. Primeiro, contratou o editor Paulo Maffia, responsável pelos quadrinhos Disney há duas décadas, e mais seis pessoas para trabalhar exclusivamente no projeto. Em seguida, lançou a assinatura mensal de uma caixa contendo cinco revistas em quadrinhos, com custo mensal de R$ 29,99. Quem assinar entra para o Clube Quadrinhos Disney, recebendo conteúdos especiais além da caixa. Outras novidades poderão surgir no começo do segundo semestre. Se as negociações com a Disney avançarem, a Culturama vai editar histórias com desenhistas e roteiristas brasileiros – hoje os gibis trazem histórias de países como Itália, Dinamarca e Bélgica. “Seria a realização de um sonho”, confessa Hoffmann.

*Com reportagem de Italo Bertão Filho.


comentarios




Antonio Spitalere

Parabéns pela matéria e editora. Sou um fã de quadrinhos.

Comentar

Adicione um comentário: