Tesouro Direto já paga 6,5% de juro real por ano

Os títulos vinculados ao índice de inflação possuem bastante volatilidade

Por Infomoney

Tesouro Direto já paga 6,5% de juro real por ano

As taxas de juros pagas pelos títulos negociados pelo programa Tesouro Direto engordaram nas últimas semanas. O Tesouro IPCA, as antigas NTN-B Principal, com vencimento em 2035 pagavam na quarta-feira (11) 6,5% de juro real (descontado o índice de inflação oficial do país). O Tesouro IPCA com Juros Semestrais, as antigas NTN-B, com vencimento em maio de 2035 ofereciam na quarta-feira um rendimento de 6,47% ao ano mais o IPCA. Já o Tesouro IPCA com Juros Semestrais (NTN-B) que vence em 2050, pagava 6,49% mais o IPCA.

É importante lembrar que os títulos de inflação possuem bastante volatilidade, já que seu preço muda diariamente. As oscilações nas curvas de juros futuros determinam se o valor de face do título ficará menor ou maior. Um exemplo: se quando o investidor comprou um título de inflação a expectativa da Selic para o período era de 13% ao ano, a parte prefixada do seu título refletia essa projeção. Se um mês depois a expectativa para a taxa de juro do período se elevar para 14% ao ano, a parte prefixada do título comercializado naquela data será maior. Isso quer dizer que o título adquirido valerá menos no mercado secundário. Caso o investidor opte em vende-lo, poderá até perder uma parte do investimento que fez.

No entanto, pode acontecer o contrário: caso as expectativas para os juros futuros diminuam, o valor de face do título aumentará. Se o investidor vender antes, pode ter um lucro elevado. Mas fazer operações de curto prazo com esses títulos é pouco indicado. O ideal é sempre casar o vencimento dele com objetivos de longo prazo, como a aposentadoria. Assim, a pessoa não sofre com a oscilação de preços e aproveita o investimento com menor risco de crédito do mercado.

Prefixados pagam mais de 13% ao ano
Na mesma linha dos títulos de inflação, os prefixados também estão com rentabilidade maior nas últimas semanas, que já passa dos 13% ao ano. O Tesouro Prefixado 2018, a antiga LTN, paga 13,46% ao ano. Já o Tesouro Prefixado 2021 oferece rentabilidade de 13,1%. O Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (antiga NTN-F) com vencimento em 2025 renderá 13,16% ao ano.Entre as casas de análise que recomendam papéis de renda fixa, a Inva Capital indica compra de títulos de inflação com vencimento em 2024 e dos prefixados com vencimento em 2016 e 2017. Esses dois últimos títulos não estão mais disponíveis na plataforma de compra do Tesouro Direto.



leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: