Economista Idaulo Cunha falece aos 80 anos

A relação com a China era uma de suas especialidades

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Economista Idaulo Cunha falece aos 80 anos

O economista Idaulo José Cunha (foto), 80 anos, faleceu nesta sexta-feira (1). A causa da morte não foi revelada. Pesquisador do Laboratório de Sistemas de Apoio à Decisão (LabSad) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Cunha também exercia as funções de professor e escritor. Nos últimos anos, Cunha vinha aprofundando estudos na relação comercial entre Brasil e China. Em 2013, lançou os livros Os BRICs: Brasil, Rússia, Índia e China serão as futuras estrelas da economia mundial?; e China Potência, uma economia milenar. O economista catarinense também sempre foi um crítico da política econômica do Brasil.  

Nascido em Joinville, Cunha fez graduação na Universidade Federal do Paraná e é doutor e mestre em Engenharia de Produção pela UFSC. Também fez especialização em Planejamento Econômico no México e nos Estados Unidos. Tirou o primeiro lugar em concurso do BRDE, integrou o quadro da instituição e, mais tarde, criou a Fundação do Meio Ambiente de SC (Fatma). Era casado com a historiadora Lenita Cunha, deixa dois filhos e cinco netos. Na foto, Idaulo e Lenita na festa das bodas de ouro do casal, em março de 2013. No mesmo ano, ao conceder entrevista para a colunista Estela Benetti, de A Notícia, declarou que, na época, o Brasil estava adiando medidas que já deveriam ter sido tomadas há uma década ou mais. 

“Não nos modernizamos. O Brasil, em vez de caminhar para frente, caminha para trás. Está perdendo espaço. Só avançou nas exportações porque houve uma disparada das commodities. Mas sou otimista porque podemos mudar os rumos. Falta ao Brasil um rumo, decidir para onde quer ir e com que meios chegará lá. O país está meio ao deus dará. O Brasil não tem rumo, não tem plano. Como eu fui velejador sempre se dizia para barco sem rumo não tem bom porto. Fica ao léu. O Brasil está vagando nessas tempestades que estão surgindo na nova etapa do capitalismo”, declarou. 


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: