Em defesa do setor metalmecânico

Sindimetal foi um dos primeiros sindicatos patronais do PR

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Sindimetal PR

O case a seguir faz parte do livro “Paraná – Grandes Marcas”, publicado pelo Instituto AMANHÃ.


União – mais precisamente, união de classe. Foi esse o componente que motivou 20 empresários paranaenses, proprietários de indústrias metalmecânicas, a fundarem o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico do Estado do Paraná – SINDIMETAL/PR. Os líderes empresariais entendiam que, unidos sob uma associação, fortaleceriam a categoria. Na época, início da década de 1940, a reunião de empresários em torno de interesses em comum ainda era coisa rara no estado – o que fez deste um dos primeiros sindicatos patronais do Paraná. Com o passar do tempo, o 
SINDIMETAL/PR foi construindo seus alicerces em bases sólidas e se tornando uma das maiores entidades representativas do setor no estado, atuando em diversos segmentos industriais do setor metalmecânico, e compondo mais de 2,5 mil empresas em sua base de representação, distribuídas em 81 municípios do estado.

A entidade foi fundada em 1941 sob a alcunha de Sindicato Patronal das Indústrias do Ferro e Outros Metais do Paraná e, em 1943, teve sua denominação alterada para a atual, atuando ainda como associação. Nesse período, a organização sindical vivia uma nova fase no país, tanto para a classe trabalhadora quanto para a classe empresarial, em função da entrada em vigor de uma nova legislação trabalhista. Em 1959, o SINDIMETAL/PR foi reconhecido como sindicato patronal por meio de uma carta sindical expedida pelo Ministério do Trabalho, materializando o sonho dos fundadores de transformar a pequena associação profissional em organização de classe patronal. Logo, em 1960, filiou-se, como um dos sindicatos fundadores, à Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP). 

No início, suas atividades eram centradas na realização de negociações coletivas para estabelecimento de aumentos salariais, piso salarial da categoria e cláusulas sociais. Nos anos 1970, com o célere crescimento do setor metalmecânico e com a criação da Cidade Industrial de Curitiba (CIC), que impulsionou o desenvolvimento industrial no estado, o SINDIMETAL/PR foi protagonista de grandes negociações coletivas, também relacionadas com os primeiros movimentos grevistas estaduais e nacionais.

Na década de 1980, a entidade foi responsável por mudanças significativas para a categoria, como o desenvolvimento de um modelo novo de negociações coletivas entre os sindicatos, com a participação das áreas jurídicas e de recursos humanos das empresas. O SINDIMETAL/PR foi precursor, também, na criação de ações voltadas à área da segurança no trabalho, passando a oferecer capacitação para as Comissões Internas de Prevenção aos Acidentes de Trabalho (Cipa’s). Sua posição inovadora foi reforçada com uma forte atuação na busca pelo aumento da produtividade, certificações de qualidade – caso da ISO 9000 – e competitividade das indústrias, permitindo sua internacionalização, quando a globalização ainda era um tema incipiente. Com esse grande esforço coletivo, o SINDIMETAL/PR contribuiu para uma maior visibilidade do estado e, consequentemente, para a formação do Polo Automotivo do Paraná.

Os anos 1990, na contramão das intempéries econômicas sofridas pelo país, foram marcantes para a história do SINDIMETAL/PR. O período foi marcado por uma euforia e crescimento expressivo do setor metalmecânico paranaense, com a chegada, em Curitiba e região Metropolitana, de grandes montadoras internacionais e indústrias nacionais de grande porte. Com a oportunidade de expandir mercado para as empresas locais, o 

SINDIMETAL/PR desenvolveu o Programa Paraná Automotivo, projeto cujo objetivo era transformar as empresas do estado em potenciais fornecedoras das multinacionais que se instalariam no território paranaense, por meio da modernização da produção, gestão de custos e de qualidade das empresas. Para isso, o sindicato investiu em uma série de ações de capacitação para as empresas, como cursos, intercâmbios, missões internacionais e certificações. O programa se estendeu até 2006 e é considerado o maior em benefício das indústrias paranaenses, além de ser uma das ações responsáveis por tornar o Paraná um importante polo automotivo no país.

A consolidação desse polo automotivo desencadeou novas demandas para o SINDIMETAL/PR. Nos anos 2000, a entidade se centrou no desenvolvimento e apoio a programas destinados à qualidade de vida e bem-estar dos empregadores e empregados das indústrias locais. A proposta do SINDIMETAL/PR era conscientizar os empresários e trabalhadores dos benefícios sociais e econômicos como resultado de uma melhor qualidade de vida no trabalho. Para isso, capitaneou uma série de ações voltadas à capacitação profissional dos trabalhadores: Programa Qualidade de Vida no Trabalho, Programa de Inclusão a Pessoas com Deficiência, Programa de Redução de Acidentes no Trabalho, Projeto Saúde Bucal e cursos nas áreas de Finanças, Logística, Recursos Humanos e Gestão Empresarial. Essas iniciativas partiram do entendimento da entidade de que a competitividade e a produtividade das empresas dependem, além da tecnologia de ponta, de um desenvolvimento industrial ligado ao sucesso de cada trabalhador.

A força do associativismo
Nos seus 58 anos de história, o SINDIMETAL/PR foi movido pelo mesmo propósito: defender os interesses do setor metalmecânico via práticas empreendedoras e modernas. A atual gestão, comandada pelo presidente Alcino de Andrade Tigrinho, é focada na valorização do associativismo e no fortalecimento da produtividade e competitividade do setor. Nesse âmbito, uma das ações recentes de maior envergadura foi o Encontro Internacional de Negócios do Setor Metalmecânico. O evento foi o primeiro encontro de negócios voltado exclusivamente ao segmento metalmecânico paranaense, e promoveu a integração das indústrias de todas as regiões do estado em prol do reerguimento do setor durante o momento de grave recessão econômica. A ação abriu novas perspectivas de mercado para empresas locais e compradores internacionais. Atualmente, o encontro integra o calendário oficial de eventos da FIEP. A iniciativa rendeu ao SINDIMETAL/PR o prêmio de Melhores Práticas Sindicais da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) em 2016.

Programas como este intensificam o propósito da entidade de fortalecer a indústria local e promover o associativismo no segmento – a marca da gestão atual. “Consideramos que a proximidade com as empresas representadas é o caminho mais eficiente para enfrentar os momentos de adversidade no país”, explica Tigrinho. Por isso, o sindicato investe fortemente em diversas atividades, como consultorias, workshops, capacitações e grupos de estudo nas áreas de Recursos Humanos, Relações Trabalhistas e Sindicais e Segurança do Trabalho, preparando as empresas para alcançar melhores resultados. 

A preocupação com o meio ambiente é também um dos pilares das atividades desenvolvidas pelo sindicato na gestão atual. Em 2012, a entidade iniciou o desenvolvimento do Plano de Logística Reversa do setor no estado, juntamente com a Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Paralelamente, o sindicato vem trabalhando na conscientização das empresas do setor sobre a importância de ações que visem à proteção ambiental.

“É mantendo uma atuação próxima, representando e defendendo o interesse das indústrias do setor, que a entidade tem sua missão reconhecida pelas associadas e filiadas”, analisou o atual presidente. Prestes a completar seis décadas de atuação, o SINDIMETAL/PR provou que é possível usar o associativismo como ferramenta para reerguer um segmento.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: