Grécia: FMI está pronto para ajudar se for solicitado

Christine Lagarde disse que está acompanhando de perto a situação

Por Agência Brasil

Grécia: FMI está pronto para ajudar se for solicitado

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde (foto), declarou nesta segunda-feira (6) que está acompanhando de perto a situação na Grécia. Segundo ela, o FMI está pronto para ajudar o país se for solicitado. No domingo, 61,34% dos gregos que participaram do referendo rejeitaram as propostas dos credores internacionais – instituições europeias e do Fundo Monetário Internacional. Após o resultado, foi agendada para amanhã (7) uma reunião de cúpula extraordinária da Zona do Euro. Posteriormente, haverá uma reunião do Eurogrupo.

"O FMI tomou nota do referendo que ocorreu ontem [dia 5] na Grécia. Estamos monitorando a situação de perto e estamos prontos para ajudar a Grécia se assim for pedido", disse, por meio de nota, a diretora do FMI.

 

Calote ou vitória da democracia? Cinco opiniões sobre os possíveis cenários depois do "não" dos gregos

 

O ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, pediu demissão, depois de o “não” ter vencido no referendo nacional. Ele disse que após serem anunciados os resultados do referendo, foi informado de certa preferência de alguns participantes do Eurogrupo, e de vários parceiros, pela sua ausência nas reuniões. "Uma ideia que o primeiro-ministro considerou ser potencialmente útil para que se conseguisse chegar a um acordo. Por esse motivo, deixo o Ministério das Finanças”, disse Varoufakis, em seu blog, depois de ter feito o anúncio em sua conta no Twitter.

 

Eleitores gregos votam contra proposta de credores internacionais

 

O responsável pelas negociações com os credores internacionais da Grécia, Euclid Tsakalotos, vai tomar posse ainda nesta segunda-feira como novo ministro das Finanças, segundo o gabinete do Presidente da Grécia, Prokopis Pavlopoulos. Tsakalotos, de 55 anos, era vice-ministro dos Negócios Estrangeiros e estava à frente da equipa grega de negociação com Bruxelas desde que o primeiro-ministro Tsipras decidiu, há algumas semanas, retirar o protagonismo a Ianis Varoufakis, muito criticado por alguns interlocutores do Eurogrupo.

Tsakalotos tem formação académica nas universidades de Oxford e Sussex e pertence ao Syriza, o partido de coligação da esquerda radical atualmente à frente dos destinos da Grécia.

BCE
O Banco Central Europeu (BCE) manteve o programa de liquidez emergencial aos bancos gregos nesta segunda-feira apesar do resultado do referendo, no qual os gregos votaram pelo "não" à austeridade fiscal para continuar na zona do euro.

A decisão da autoridade monetária pode sinalizar que ainda há esperança de um acordo entre o país e seus credores internacionais.
O Banco Central Europeu afirmou que está determinado a usar todos os instrumentos e que está monitorando de perto a situação nos mercados financeiros.

Novas propostas
O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e a chanceler alemã, Angela Merkel, acertaram nesta segunda, por telefone, a apresentação de novas propostas de Atenas na reunião de líderes marcada para esta terça-feira (7), informou a agência de notícias grega ANA-MPA. A proposta do governo grego para um resgate vai ser apresentada na Cúpula de Líderes da União Europeia convocada para amanhã, segundo fonte governamental grega. O acordo entre Atenas e Berlim surge depois de dois porta-vozes do governo alemão terem dito que não estavam ainda reunidas as condições para novas conversações e descartado negociações sobre uma reestruturação da dívida grega.

A notícia surge também antes do encontro de Angela Merkel com o presidente francês, François Hollande, marcado para esta segunda à noite, em Paris, fundamental para obter consenso em uma resposta europeia à crise grega. Está agendado para o fim do dia um encontro entre os chefes de Estado francês e alemão para discutir a crise atual. Na sequência dos resultados do referendo, está também marcada para esta terça-feira uma cúpula extraordinária dos países da zona do euro, antecedida de uma reunião do Eurogrupo.


leia também

Calote ou vitória da democracia? - Eis cinco opiniões sobre os possíveis cenários depois do "não" dos gregos

Eurogrupo espera pedido formal de ajuda nesta quarta - Dijsselbloem declarou que proposta grega será examinada imediatamente

Ilhas gregas que você pode (realmente) comprar - Terreno pode acabar sendo mais barato do que um imóvel em Manhattan

Lesbos e o Nobel da Paz - O que singulariza o pedido é que os gregos passam por um momento dramático e mostram que sempre cabe mais um no coração

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: