Marcelino Champagnat: qualidade é vetor da história

Hospital tem como base a humanização da saúde

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Funcionários do Hospital Marcelino Champagnat

O case a seguir faz parte do livro “Paraná – Grandes Marcas”, publicado pelo Instituto AMANHÃ.


Muito antes de sua sede ganhar forma, o Hospital Marcelino Champagnat (HMC) já trazia nos seus alicerces a busca constante pela qualidade. Tanto é que o empreendimento foi planejado por um grupo de executivos do Grupo Marista a partir de um sólido trabalho de pesquisas de mercado baseado em referências nacionais da área da saúde. As equipes multiprofissionais foram contratadas com grande antecedência de forma que pudessem receber treinamento. Com isso, o HMC almejava criar uma cultura de garantia institucional ao adotar procedimentos seguros para os futuros pacientes. Também foi implantado o sistema de gestão hospitalar Tasy, que é dotado de prontuário totalmente eletrônico e capaz de fazer rastreabilidade de todos os processos.

Para se tornar referência na área da saúde em Curitiba e, ainda, estar entre os mais modernos hospitais do Sul do Brasil, o complexo hospitalar marista investiu na busca de certificações. Em 2016, o HMC foi certificado pela Joint Commission International (JCI), o modelo de acreditação hospitalar mais reconhecido internacionalmente. Desse modo, o Marcelino Champagnat foi a primeira instituição desse gênero do Paraná a obter essa certificação, juntando-se a um grupo seleto de três dezenas de instituições no Brasil, como o Albert Einstein e o Sírio Libanês, ambos sediados em São Paulo. Em 2017, a instituição também entrou para a lista dos melhores hospitais e clínicas da América Latina. É o 11º hospital brasileiro – o único paranaense – na relação da AméricaEconomía Intelligence.

Por seguir os padrões de excelência descritos no Manual de Acreditação Internacional, todos os processos assistenciais, operacionais e de gestão estão de acordo com os requisitos da JCI, razão pela qual os processos são sempre formalizados, controlados e medidos através de indicadores. Outra providência é o treinamento contínuo das equipes multiprofissionais. Anualmente, o HMC é auditado por especialistas oriundos do Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA), entidade que representa a JCI no Brasil. O hospital marista realiza, por iniciativa própria, auditorias internas e acompanha mensalmente todos os indicadores de protocolos, processos e desfechos clínicos. Porém, a atualização é uma preocupação muito presente no gerenciamento do HMC. O Marcelino Champagnat participa frequentemente das atividades da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), entidade que congrega cerca de 100 dos melhores hospitais do país. A partir dos encontros, os gestores buscam benchmarks de vários dados assistenciais e operacionais. Além disso, os médicos e outros profissionais participam dos principais congressos e eventos nacionais e internacionais. Ouvir os pacientes é outra parte do aprendizado com pesquisas on-line de satisfação de clientes. 

Como forma de se manter atualizado com as tecnologias da saúde, o HMC implantou o Centro de Estudos, Pesquisas e Inovação (Cepi) em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e com o Hospital Universitário Cajuru, também integrante da divisão de saúde do Grupo Marista. O setor tem a responsabilidade de promover e gerenciar as atividades de ensino e os projetos de pesquisa e inovação. O hospital, desde que iniciou suas atividades, em novembro de 2011, tem por finalidade contribuir para o financiamento e sustentabilidade da área de saúde do Grupo Marista, cuja missão é atender as necessidades de retaguarda hospitalar e ambulatorial demandadas pelos Programas Educacionais das Escolas de Medicina e de Ciências da Vida da PUCPR. O HMC tem como meta oferecer programas de desenvolvimento para seus funcionários e parceiros – filosofia que se baseia nos valores e identidade maristas, contribuindo decisivamente para o atendimento humanizado a seus pacientes, uma das características mais destacadas do hospital. 

Promoção da saúde
O Hospital Marcelino Champagnat presta atendimento clínico geral, tendo o foco cirúrgico voltado para procedimentos de alta e média complexidade. Nas especialidades clínicas, destacam-se a cardiologia e a neurologia. Os maiores volumes de atendimento estão nas áreas de ortopedia (com destaque para as linhas de cuidado de quadril, coluna, joelho e ombro), cirurgia geral (ênfase para as cirurgias bariátricas), neurocirurgia, cirurgia cardíaca e urologia. 

Envolvido cada vez mais em ações de promoção da saúde e prevenção de doenças, o HMC alerta a sociedade em relação a temas como o câncer de mama e o câncer de próstata, por exemplo. A unidade hospitalar marista faz questão de propagar o serviço de check-up, um forte aliado que pode ajudar a prevenir o surgimento de várias doenças. O renomado corpo de médicos também é voz ativa com a comunidade curitibana e de todo o Paraná. Os profissionais têm conquistado espaço na mídia para falar de assuntos de interesse da população, esclarecendo dúvidas sobre diversas enfermidades e incentivando hábitos saudáveis, como a prática de exercícios. 

Hoje, o HMC conta com 627 funcionários e 701 médicos credenciados ativos no seu corpo clínico. Tem 72 consultórios e 116 leitos, sendo 86 de internação (divididos em cinco postos) e 30 de Unidade de Terapia Intensiva (20 gerais e dez para cardiologia e neurologia). O centro cirúrgico possui sete salas – uma delas de hemodinâmica – e o pronto atendimento possui dez leitos de observação. A estrutura física tem ainda um laboratório de análises clínicas; um laboratório de anatomia patológica; serviços de imagem (tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassonografia, mamografia e radiografia); serviço de endoscopia digestiva e respiratória; métodos gráficos e cardiológicos; e serviço de doppler e ecocardiografia. Atualmente, o Hospital Marcelino realiza cerca de 13,6 mil atendimentos mensais, sendo aproximadamente 5,2 mil ocorrências no pronto atendimento, 850 internações, 100 check-ups e 7,5 mil consultas. Desde 2015, a instituição de saúde marista tem apresentado um aumento de receita na ordem de 10%. A projeção traçada para o futuro é de que esse crescimento seja mantido nos próximos anos. 

O HMC está à frente de campanhas como o Setembro Amarelo, Outubro Rosa e Novembro Azul. Além disso, o hospital desenvolve ações para estar cada vez mais próximo de seus colaboradores e do corpo clínico, lembrando-os que eles são parte fundamental de todos os processos e do reconhecimento que a instituição tem conquistado. Nesse contexto, a marca do hospital busca transmitir humanização, modernidade, consistência e credibilidade. O logotipo foi desenvolvido em 2011, logo que a instituição foi fundada. A única alteração ocorreu no ano seguinte, quando foi acrescentado o endosso explícito do Grupo Marista como estratégia de garantir a unidade dos negócios.

As marcas da área de saúde do Grupo Marista foram construídas seguindo um mesmo padrão para conservar a unidade das instituições e ressaltar, ao mesmo tempo, a sua singularidade. As cores são o vermelho e o preto. O logotipo do HMC é composto pelo símbolo, seguido das palavras “Hospital Marcelino Champagnat” em caixa alta, e pelo endosso do “Grupo Marista”. Ele ainda une uma elipse vermelha com o tradicional ícone do eletrocardiograma, formando ao mesmo tempo o M. O sinal, que também evoca o nome de Marcelino, tem a função de remeter a um serviço que busca retratar a alta tecnologia em favor da saúde, a modernidade estrutural e o poder de resolução que o hospital oferece a seus pacientes.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: