Potencial: o combustível do crescimento

Grupo construiu uma relação com os paranaenses

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Caminhão da Potencial

O case a seguir faz parte do livro “Paraná – Grandes Marcas”, publicado pelo Instituto AMANHÃ.

Data de 1954 a criação do primeiro posto para revenda de combustível da família Hammerschmidt. O empreendimento localizado na cidade da Lapa marcou o início da história do Grupo Potencial. O negócio prosperou rapidamente, o que levou ao investimento numa rede de postos de grande “galonagem” – direcionados ao atendimento de caminhões.

Em 1994, foi delineado mais um capítulo na história da companhia com a fundação da distribuidora Potencial Petróleo, em Araucária, região Metropolitana de Curitiba. O primeiro posto bandeirado acabou sendo o da própria família. Logo, surgiram parcerias com outros revendedores, e a marca Potencial espalhou-se pelo estado – estampando a estradinha que remete aos primeiros postos inaugurados e o nome forte de uma empresa séria e comprometida com o futuro.

“A Potencial nasceu com base na paixão pelo trabalho e na vontade de empreender”, resume Arnoldo Hammerschmidt, diretor-presidente do Grupo. As palavras ilustram a confiança e a determinação com que o fundador enfrentou os desafios para a criação da distribuidora – um empreendimento ousado. O primeiro deles foi ampliar o campo de atuação do negócio que, inicialmente, limitava-se ao óleo diesel, instalando um terminal de armazenamento de combustíveis, com capacidade atual de 31 milhões de litros, em Araucária. A planta possibilitou o comércio também de gasolina – produto necessário para a criação de uma rede de postos da marca. 

O foco na satisfação do cliente, com a oferta de um  atendimento diferenciado, preservando a proximidade com os revendedores, foi uma das características que levaram a Potencial a conquistar seu espaço no mercado como uma rede independente, em meio a grandes distribuidoras de combustível. Das estradas do Paraná e de Santa Catarina, a marca Potencial foi expandindo-se para o Rio Grande do Sul, Minas Gerais e São Paulo. A distribuidora aposta na qualidade dos seus produtos, investindo em um programa próprio para controlar a qualidade na rede de revendedores e na padronização dos serviços. Tal posicionamento acabou por colocar a  companhia entre os melhores resultados nos programas de análises de combustíveis da Agência Nacional do Petróleo (ANP), em todo o país.

A experiência de 23 anos no mercado consolidou a companhia como uma das melhores distribuidoras regionais de combustíveis e lubrificantes do Brasil, e a colocou entre as 100 maiores empresas do Sul – conforme o ranking Grandes & Líderes, da Revista AMANHÃ. Hoje, a companhia conta com mais de 200 postos bandeirados e está presente em mais de 2 mil municípios do território nacional, através de atendimento de postos independentes e grandes consumidores. Além das 12 bases próprias de distribuição estrategicamente localizadas, a Potencial possui uma moderna frota de 100 caminhões-tanques para o atendimento rápido e seguro aos revendedores.

Crescimento estratégico
A trajetória de expansão segue uma premissa que a empresa traz de sua fundação: a busca contínua por novas e cada vez melhores soluções para os clientes. Orientado sob essa estratégia, o Grupo delineou sua entrada no ramo de TRRs – transportador, revendedor, retalhista. A operação da Jeta, iniciada em 2012, é voltada a atender consumidores finais, como agricultores e empresas de pequeno e médio porte. 

Pensando ainda no atendimento completo aos clientes, o Grupo reorientou seu plano de ações e apostou no projeto de produção de biodiesel, que foi concretizado em 2012 com a instalação de uma usina, em Lapa. Sua capacidade produtiva de 383,4 milhões de litros de biodiesel e 45,5 mil toneladas de glicerina por ano faz dela a segunda maior usina de biodiesel do Brasil. A entrada no mercado de biocombustíveis convergiu com a visão de futuro da empresa que viu na abertura do mercado – pela exigência do biodiesel na composição do óleo diesel – uma oportunidade de crescimento com o uso progressivo de energia limpa e renovável.

É com base nessa visão de futuro que o Grupo Potencial reconhece sua capacidade de adaptação e resiliência no mercado. Por isso, as mudanças não assustam. Dessa forma, a companhia encara com prudência os desafios impostos pelas novas tendências nas modalidades de uso de energia nos seus negócios. “As mudanças irão acontecer, mas de forma mais lenta. Quando entramos no setor de biodiesel, criamos uma segunda alternativa para a nossa empresa. Hoje, não estamos restritos somente à distribuição de combustível”, exemplifica o presidente, ilustrando a adaptação da empresa às transformações no mercado de energia. 

O processo cauteloso nas transições do negócio é observado também no modelo de crescimento seguido pelo Grupo – pautado em uma gestão firme, com reinvestimento total dos lucros na empresa. “Temos como norte crescer devagar, para poder crescer sempre. A cada passo dado, buscamos primeiro conseguir os recursos próprios para dar continuidade. E assim fomos construindo um posto aqui, um posto lá”, explica Hammerschmidt.

Tal cautela não inibe planos ousados: o grupo projeta dobrar o seu tamanho até 2020. A estratégia é baseada na abertura de novas filiais, expansão da base de distribuição para outros estados, ampliação da planta de biodiesel, construção de uma fábrica de glicerina e montagem de uma esmagadora para soja. Plano desafiador, mas não impossível para quem transformou um posto de estrada em um dos sete maiores grupos de combustíveis do país.

Por um amanhã mais sustentável
No posicionamento de atuação sustentável da Potencial, contribuir com o desenvolvimento econômico do Paraná via geração de emprego e renda – participação acentuada por posicionar-se entre as 40 maiores empresas do estado – não é suficiente. É preciso também preocupar-se com os impactos ambientais de suas atividades. Sob essa perspectiva, a operação da sua usina em Lapa, que produz uma energia limpa, levou à região um novo cenário econômico. A entrada da Potencial trouxe um aumento de 100% no PIB do município e mais que dobrou a produção do biodiesel no estado do Paraná, além de movimentar e fomentar parcerias com agricultores e cooperativas.

Engajada na busca por uma melhora dos aspectos ambientais na comunidade em que está inserida, a Potencial desenvolve um programa de recuperação do óleo de cozinha utilizado. A empresa recolhe o óleo utilizado e transforma em biodiesel. Para isso, conta com pontos de coleta espalhados pela cidade, como restaurantes, empresas, igrejas e supermercados. Mas o Grupo também investe na conscientização da população sobre os prejuízos do descarte incorreto do produto. O objetivo da Potencial é transformar essa ação em um grande projeto com o envolvimento de toda a comunidade local. “Não estamos visando ganho. Nossa intenção é fazer um projeto social pensando lá na frente, pensando na sustentabilidade”, enfatiza Hammershmidt. Planejando o que vem pela frente, para seguir crescendo com responsabilidade, a Potencial oferece – mais que seu combustível – uma lição para o Paraná e para o Brasil.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: