Eleitores gregos votam contra proposta de credores internacionais

Eurogrupo discutirá crise no país

Por Agência Lusa

Eleitores gregos votam contra proposta de credores internacionais
Após votar majoritariamente contra as propostas dos credores internacionais no referendo de domingo (5), a Grécia deu o primeiro passo para a sua saída da zona do euro, avaliou o vice-ministro da Economia russo, Alexei Likhachev. Ele considerou, no entanto, prematuro afirmar que a Grécia “irá até o fim do caminho”. Os eleitores gregos rejeitaram as propostas dos credores internacionais – Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional. Com todas as urnas apuradas, o "não" venceu com 61,3% dos votos, enquanto o "sim" obteve 38,7%. Cerca de um pouco mais de uma hora antes da divulgação oficial do pleito, eleitores gregos já celebravam vitória do "não" na Praça Syntagma, em Atenas (foto). O resultado forçará o país a introduzir rapidamente uma nova moeda, alertou o presidente do Parlamento Europeu, Martins Schulz.

O líder do principal partido da oposição grega, Antonis Samaras, pediu demissão. “Compreendo que nosso grande partido precisa de um novo começo. Demito-me hoje da liderança do Nova Democracia e peço a Evangelos Meimarakis para assumir provisoriamente a presidência”, disse, em breve aparição transmitida pela televisão. Evangelos Meimarakis, ex-presidente do parlamento e atual deputado, é o número dois do partido Nova Democracia, de centro-direita. Samaras, que foi primeiro-ministro até janeiro passado, liderou a campanha pelo Sim no referendo de hoje na Grécia sobre as propostas de credores internacionais. 

Eurogrupo
O Eurogrupo, instância que prepara reuniões de ministros das Finanças da zona do euro, deve se reunir nesta segunda-feira (6) para analisar as consequências do resultado do referendo. O grupo de trabalho é composto por representantes dos Estados-Membros da zona do euro que integram o Comitê Econômico e Financeiro e por representantes da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu e tem como missão prestar assistência ao Eurogrupo na preparação das reuniões.

Até o momento, não foi agendada nenhuma reunião extraordinária do Eurogrupo para tratar da crise na Grécia. No calendário oficial, consta apenas uma reunião ordinária do fórum de ministros das Finanças no dia 13 de julho. A expectativa, entretanto, é que um encontro seja convocado antes dessa data para discutir o assunto.  O último do Eurogrupo sobre a Grécia – a última de uma maratona de encontros realizados no fim de junho – aconteceu na última quarta-feira (1º), por teleconferência, quando os ministros das Finanças da zona do euro decidiram voltar a discutir o assunto depois da consulta popular deste domingo.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: