Governo do PR fará auditoria na folha de pagamentos

Medida atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos do Estado

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Ratinho Junior anuncia auditoria na folha de pagamento do funcionalismo do PR

O governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, determinou a contratação de uma auditoria externa, por meio de pregão eletrônico, para avaliar as folhas de pagamento dos servidores ativos do Poder Executivo e inativos da Paranaprevidência, de todos os Poderes. O anúncio foi feito nesta terça-feira (22), no Palácio Iguaçu, pouco antes da reunião de trabalho com o secretariado. Ratinho Junior disse que o propósito da auditoria é revisar os gastos e detectar eventuais pagamentos em duplicidade, horas extras pagas sem direito, questões de pensões, pagamento a pessoas já falecidas, entre outras situações que podem ocorrer. “É um pente fino. A ideia é poder ser justo com quem trabalha direito e acabar com as injustiças”, afirmou.

A contratação da auditoria será feita pela Secretaria de Estado da Administração e da Previdência. Segundo o governador, com base em dados de outros estados que adotaram a medida, há uma estimativa de equívocos de 2% na folha de pagamento, mas o percentual exato só será conhecido após a avaliação final. A medida atinge os 175 mil servidores ativos e 122 mil inativos. A folha de pagamento mensal do Poder Executivo é de R$ 1,2 bilhão para ativos e R$ 700 milhões para inativos (aposentados e pensionistas). A expectativa do governo é de que os trabalhos comecem nos próximos 60 dias e que alguns relatórios sejam entregues ainda no primeiro semestre, principalmente o de comparação entre a base cadastral da folha da Paranaprevidência e o cadastro de óbitos, a análise da frequência dos servidores nas secretarias e o pagamento de horas extras.

O escopo mínimo do pregão prevê, no caso da folha de funcionários ativos, a avaliação dos procedimentos de controle de acesso ao sistema de gestão de folha de pagamento; dos procedimentos de controle de frequência; do pagamento das horas extras; dos acúmulos de cargos e dos pagamentos retroativos por promoção e progressão. Em relação à folha dos inativos, a empresa vencedora do pregão deverá fazer a avaliação do cálculo de benefícios (inclusive no que diz respeito ao teto remuneratório), dos descontos, das compensações previdenciárias com o Regime Geral de Previdência Social, dos procedimentos de recadastramento da Paranaprevidência, além da revisão das pensões concedidas às filhas maiores solteiras e filhos universitários e da existência de beneficiários falecidos que permanecem na folha de pagamento.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: