Braskem é alvo de ação nos Estados Unidos

Companhia teria divulgado comunicados falsos sobre negócios

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Braskem é alvo de ação nos Estados Unidos

Douglas W. Peters, acionista da Braskem, representado pelo escritório de advocacia Scott+Scott, apresentou nesta quarta-feira (1º) uma ação coletiva no tribunal de Nova Iorque contra a petroquímica, o mesmo em que a Petrobras está sendo processada por investidores norte-americanos. A ação acusa a Braskem (foto) de violar as leis do mercado de capitais dos EUA. Segundo o escritório de advocacia, a empresa supostamente divulgou informações e comunicados falsos sobre negócios, dados operacionais e políticas de governança.

O processo é movido em nome de todos os investidores em ADRs da petroquímica entre 1º de junho de 2010 e 11 de março deste ano, diante das informações de suposto envolvimento da Braskem em um esquema de pagamento de propina na Petrobras. Procurada, a companhia, que é controlada pela Odebrecht e tem a Petrobras como segunda maior acionista, informou em nota ao Portal AMANHÃ que não foi notificada de qualquer pleito indenizatório nos Estados Unidos e, por isso, não comentará o assunto.

Segundo a ação, as ADRs da Braskem foram negociadas a preços artificialmente inflados durante o período e o principal requerente da ação, Douglas Peters, e outros quatro membros, sofreram danos significativos. Além da Braskem, também são réus individuais da ação Bernardo Afonso de Almeida Gradin, que atuou como presidente da companhia entre julho de 2008 e dezembro de 2010, Carlos Fadigas, presidente desde dezembro de 2010, Marcela Drehmer Andrade, que era vice-presidente e diretora financeira de 2010 a junho de 2013, e Mario Augusto da Silva, que é diretor financeiro desde julho de 2013.



leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: