BBM Logística: na estrada do futuro

Empresa tem 4 mil veículos em operação em todo o país

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Veículos da BBM Logística

O case a seguir faz parte do livro “Paraná – Grandes Marcas”, publicado pelo Instituto AMANHÃ.

A BBM Logística nasceu em 1996, alinhada com um movimento de profissionalização do setor de transportes, atendendo à exigência do mercado por soluções mais técnicas e integradas, que realmente aprimorassem as operações dos clientes e oferecessem redução de custos e aumento de competitividade.

Nesse cenário, em que os operadores logísticos deixaram de ser apenas ferramenta de apoio e transformaram-se em agentes estratégicos, a BBM deu os primeiros passos orientada para o desenho e implementação de projetos de médio e longo prazos, buscando eficiência e melhoria contínuas, como as melhores práticas da época ensinavam. Sua forma de atuar, desde o início, foi buscar a cooperação com as áreas técnicas do cliente, pesquisando os melhores equipamentos e os processos mais adequados a cada caso. “A busca pela melhor solução logística através da customização nos projetos, que ainda hoje é a principal marca da BBM, foi característica original da empresa. Nosso planejamento de crescimento para os próximos anos tem essa orientação como meta principal”, explica André Prado, presidente da BBM. De imediato, os primeiros projetos aconteceram no segmento de gases do ar, mas, rapidamente, outras frentes se abriram e novas unidades de negócios foram criadas, como a de transporte de cargas completas e de cargas fracionadas. 

Nesse meio tempo, a intensificação do comércio no Mercosul e as necessidades de clientes levaram a BBM a criar sua operação internacional, que hoje inclui Argentina, Uruguai, Paraguai, Chile e Bolívia. Nesses países, a BBM possui as autorizações necessárias para o transporte internacional, além de veículos adequados e unidades de apoio nas fronteiras, atuando com pessoal capacitado, apto a intervir de acordo com as características e exigências locais. O aperfeiçoamento das operações foi acompanhado por certificações de órgãos reguladores e qualificadores, como ISO 9001, ISO 14001 e SASSMAQ. Da mesma maneira, a BBM obteve todas as licenças com os órgãos responsáveis para o transporte de cargas especiais, como medicamentos e correlatos, além de produtos químicos classificados.

Expansão
As necessidades de especialização trazidas com a expansão fizeram com que a empresa se dividisse em três unidades, duas voltadas a negócios dedicados (DCC – dedicated contract carriage) e a terceira voltada à Gestão de Transporte (TM – transportation management). A unidade DCC Forest & Agribusiness apresenta soluções integradas de corte, carregamento, transporte de madeira e gestão de pátio, além de apoio operacional, já a unidade DCC Industry atua com soluções em transporte e armazenagem para produtos químicos, gases e granéis líquidos. Por último, a unidade de TM traz ao mercado soluções integradas de transporte de cargas completas (FTL) e fracionadas (LTL), além de armazenagem e transporte internacional. Atualmente, as três divisões estão preparadas para operar em todo o território nacional e no Mercosul. 

Para acompanhar o ritmo de crescimento contínuo e ser capaz de aproveitar as oportunidades que o mercado naturalmente apresenta para as empresas que se destacam, a BBM iniciou um processo de reestruturação em 2015. “Foi necessário mudar de patamar para continuar a ascensão e estar entre os maiores operadores logísticos do país. Principalmente, era necessário se preparar para concorrer com os maiores players globais”, explica André Prado. 

Dentro desse processo de evolução, em 2017 a BBM recebeu o fundo de investimentos Stratus como novo sócio, movimento que agregou um expressivo volume de recursos e vasta experiência de gestão. Ao mesmo tempo, a direção da empresa foi reestruturada e um conselho de administração constituído. Após a conclusão de todas essas ações, foi estabelecido um plano agressivo de negócios para que, rapidamente, a BBM se tornasse um dos maiores operadores logísticos do Mercosul, finalizando já o ano de 2018 entre os dez maiores. 

A restruturação também foi oportunidade para a BBM reafirmar sua missão de desenvolver soluções logísticas baseadas em processos eficientes, eficazes, inovadores e integrados que possam prover operações sincronizadas e de alto desempenho na rede em que estão inseridas. E a visão de ser um dos principais provedores de serviços logísticos do Brasil e do Mercosul gera valor e mantém relações sustentáveis com clientes, colaboradores, fornecedores, acionistas e sociedade. No início de 2018, ocorreu a primeira aquisição, com a compra das empresas Transeich Assessoria e Transeich Armazéns Gerais. De imediato, o negócio representou um acréscimo de R$ 200 milhões na receita da empresa, que vai se aproximar dos R$ 700 milhões em 2018. 

“Temos um plano de expansão através de aquisições que apresentem sinergia com nossa operação e ofereçam ganho de produtividade para acelerar o crescimento orgânico”, esclarece o presidente da BBM. Dentro dessa estratégia, a aquisição reforçou a presença da BBM em operações intermodais, de transporte fracionado, armazenagem e serviços dedicados, além da participação em diversos setores, como o químico, petroquímico, automotivo, cosméticos, adesivos, varejo e eletroeletrônicos, multiplicando sua capacidade e expertise nessas áreas de atuação. 

Novos projetos também reforçam o plano de expansão, como um novo negócio dedicado no segmento de gases industriais e medicinais que aumenta a atuação da BBM no Nordeste e inaugura sua atuação na região Norte do país, fazendo da BBM um dos maiores operadores logísticos do segmento. A implantação de uma central de Gerenciamento de Risco e Segurança Patrimonial e novas soluções logísticas de FTL e LTL para clientes no Brasil e no Mercosul aprimoraram os projetos e a reestruturação de processos e procedimentos contribuíram para o alcance das rígidas metas de produtividade e compliance. 

Hoje, a BBM tem 4 mil veículos em operação por todo o território nacional e no Mercosul. Em conjunto, os equipamentos realizam 350 mil viagens por ano, que somam quase 120 milhões de km rodados e mais de 10 milhões de toneladas movimentadas. Tudo isso realizado por 1,5 mil colaboradores distribuídos por 46 unidades operacionais, em mais de 200 mil m² de área operacional. “Existe a previsão de investimento de US$ 50 milhões por ano, até 2022, para crescer e ultrapassar R$ 1 bilhão de faturamento. E, nos próximos anos, alçarmos voos ainda mais altos”, finaliza André Prado.


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: