Como superar 7 desafios da migração para a nuvem

Essa tecnologia requer muito planejamento

Por Telium

Ilustração de migração para nuvem

A modernização das tecnologias de transmissão está permitindo que serviços de nuvem sejam implementados com eficiência nas empresas. Isso leva a uma nova tendência: o outsourcing tecnológico. Serviços como software, firewall, backup, entre outros, estão sendo ofertados por meio de tecnologia em nuvem. No entanto, realizar a migração dos serviços para nuvem não é totalmente trivial. Há vários desafios que precisam ser superados. Os conheça a seguir. 

1. O desafio do acesso à internet
É fato: sem internet não há nuvem! Todos os serviços podem ficar comprometidos caso sejam acessados por uma rede de baixo desempenho. Antes de realizar a migração para nuvem é necessário assegurar que o local de acesso aos serviços tenha uma rede rápida e estável. Por isso é bom contratar serviços que oferecem internet de alto desempenho. Uma rede de fibra ótica com links dedicados para redes corporativas é a escolha perfeita. Ela garantirá que uma internet dedicada e de alta velocidade seja entregue à empresa e, por meio dela, os serviços de nuvem sejam acessados sem queda do desempenho. 

2. Problemas com a proteção de dados na nuvem
Armazenar os dados em um servidor externo ao da empresa gera muitas preocupações em relação à segurança dos dados sensíveis. Mas a verdade é que nenhum dado que esteja conectado em uma rede está totalmente seguro. Para amenizar os riscos de vazamento, as fornecedoras de serviços em nuvem dividem os dados dos clientes em múltiplos servidores. Dessa forma, o hacker que invadir um servidor terá acesso a apenas uma fração mínima do total de dados. Isso dificilmente é implementável em soluções locais, pois o custo de manter vários servidores é bem alto. A nuvem tem se mostrado um serviço confiável. Como a questão da segurança está sempre em pauta, os fornecedores buscam cada vez mais soluções para amenizar o risco de acidentes. Por isso, é bom escolher uma empresa que ofereça serviços de backup, criptografia de dados, múltiplos servidores e um contrato de resguardo em caso de vazamento de dados.

3. A busca por um bom planejamento de migração
Migrar os serviços para nuvem requer muito planejamento — e isso, em vários casos, é negligenciado. Um mau projeto pode gerar instabilidade dos serviços e queda na produtividade. Dessa forma, é importante criar uma estratégia cautelosa de migração a fim de cobrir possíveis problemas que podem ocorrer durante o processo. A empresa deve, primeiramente, avaliar suas demandas de migração para nuvem. O mais cauteloso é fazer a mudança gradualmente. Ou seja, transferir apenas alguns sistemas por vez e avaliar se o objetivo foi cumprido. Após isso os demais sistemas serão migrados até que todo o processo esteja completo. A instituição pode optar, também, por não transferir tudo para a nuvem e deixar os sistemas mais críticos rodando localmente.

4. A dificuldade em encontrar o fornecedor ideal
Existem diversos serviços de nuvem no mercado. É uma área com alta demanda de investimento — o que acaba atraindo vários empreendedores. No entanto, nem todo serviço vai atender da forma que a empresa precisa. O grande desafio é entender qual o tipo de demanda que o negócio necessita. Esse passo é crucial na procura por um fornecedor ideal. Para superar esse problema é necessário fazer uma avaliação prévia interna do negócio. Quais são os serviços que se beneficiarão da migração para a nuvem? Que demanda há para a implementação desses serviços? É importante ter tais perguntas em mente e ressaltar que nem todo serviço local será beneficiado com a nuvem.

5. A questão da regra de licenciamento
Cada empresa faz uso de hardwares e softwares diferentes. E cada um deles possui um tipo de licenciamento que precisa ser avaliado. Alguns fabricantes, por exemplo, possuem licenças diferentes para uso local ou em nuvem. Em casos nos quais as diferenças impedem o uso desses serviços em nuvem, o ideal é procurar por fornecedores que tenham soluções baseadas em data center. Afinal, os data centers são mais flexíveis e permitem que configurações de hardware e softwares sejam adequadas de acordo com a necessidade da empresa. Embora os custos sejam mais elevados, não há problemas de compatibilidade nem com as regras de licenciamento.

6. O respeito às regras de contrato
Os contratos de serviço de nuvem são de longo prazo e podem apresentar alguns desafios para os orçamentos de TI de pequenos negócios. Isso porque os valores são ajustados com taxas de juros para acompanhar a inflação futura. Sem contar o custo inicial na hora de fechar o contrato. Para superar este sexto desafio, as empresas devem procurar fornecedores com o melhor custo-benefício do mercado. Também vale ressaltar que os serviços de armazenamento em nuvem vêm barateando ano após ano. 

7. A importância de saber gerenciar a nuvem
Por fim, mas não menos importante, é preciso gerenciar muito bem a nuvem para que não haja indisponibilidade de serviços e, consequentemente, queda no desempenho de produção. Em alguns casos não há um sistema que permita o controle de ambiente de nuvem por parte da empresa e o contratante fica a mercê do suporte técnico. É preciso garantir um prestador de serviços de nuvem que assegure o suporte adequado para seu negócio. Outra opção é terceirizar o controle de ambiente pela própria empresa que fornece os serviços de nuvem. Isso dá um suporte integrado e dedicado para os problemas diretamente na matriz e ajuda a garantir estabilidade confiável.

Entender as questões que envolvem a migração de serviços para nuvem é muito importante para conseguir superá-las. Na maioria das vezes é necessário procurar os serviços de empresas especializadas, pois elas já estão acostumadas a enfrentar os desafios da transição. Uma vez realizada essa mudança de mentalidade no negócio, as recompensas virão. 


comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: