PIB do agronegócio cresceu 2,5% no terceiro trimestre

Resultado se deve a ganhos de produtividade

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

PIB do agronegócio cresceu 2,5% no terceiro trimestre, informam IBGE e Mapa

A Agropecuária cresceu 0,7% no terceiro trimestre deste ano, de acordo com dados do PIB (Produto Interno Bruto) divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que teve alta de 0,8%.  A Indústria aumentou 0,4% e Serviços, 0,5%. Foram gerados R$ 61,9 bilhões pelo setor do agronegócio, 331,6 bilhões, pela Indústria, e, R$ 1,1 trilhão, pelos Serviços. Na comparação do trimestre em relação ao mesmo do ano anterior, mostram crescimento de 1,3% para o PIB, sendo o da Agropecuária, de 2,5%, Indústria, 0,8% e Serviços 1,2%. “Foi o melhor resultado neste ano para o agronegócio”, observa José Garcia Gasques, coordenador geral de estudos e análises da Secretaria de Política Agrícola (SPA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Segundo o IBGE, a alta se deve, principalmente, a lavouras que têm safra relevante no terceiro trimestre e pela produtividade refletida na relação entre produção e área plantada. O desempenho da produção e da produtividade de culturas importantes como o café e o algodão superou o fraco desempenho da produção de lavouras como cana-de-açúcar, mandioca, laranja e milho. O IBGE destacou que contribuíram positivamente para os resultados do trimestre, os ganhos na pecuária e na produção florestal. 

O resultado acumulado de janeiro a setembro revela avanço do PIB de 1,1%, Agropecuária (-0,3%), Indústria (0,9%) e Serviços (1,4%). A taxa negativa da Agropecuária deve-se ao pior desempenho neste ano, de lavouras com grande importância na formação da renda do setor, como cana-de açúcar, arroz, feijão, laranja, mandioca, milho e uva. O IBGE atualizou para o período 2000 a 2017, através da revisão das Contas Nacionais, a distribuição setorial das atividades que compõem o PIB, ficando em 5,4%, a Agropecuária, Indústria, com 21,3% e, Serviços, 73,3%.


leia também

A China rural não existe mais - A mudança do modelo de crescimento econômico continuará elevando as demandas do país mais populoso do mundo

A transformação digital da agricultura - Tecnologia pode melhorar rendimento de produtores

A utilidade de uma “marca Geni” - Ao eliminar o nome Monsanto, a má fama pode sobrar para a Bayer

Agronegócio está no radar das startups catarinenses - Iniciativa de SC é a única apoiada pelo Bird na América Latina

Alta da safra de grãos no país será puxada pelo Sul - Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul terão uma produção 5% maior

As jabuticabas tributárias fazem o Brasil ser injusto - Opinião é de Rafael Nichele, novo presidente do IET

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: