Maxflex: a estrela do conforto há mais de 30 anos

Marca paranaense de colchões oferece produtos de qualidade

Da redação

redacao@amanha.com.br

O case a seguir faz parte do livro “Paraná – Grandes Marcas”, publicado pelo Instituto AMANHÃ.


Os brasileiros dormem, em média, 7h36min, segundo estudo da Universidade de Michigan. Por isso, a escolha do colchão deve ser criteriosa e acertada: um produto de má qualidade pode provocar problemas na coluna e insônia, atrapalhando a qualidade de vida das pessoas. A Maxflex, indústria paranaense de colchões, reconhece o poder dessa decisão e proporciona produtos de qualidade ao consumidor há mais de 30 anos.

A história da empresa começa em meados dos anos 1980. O Brasil vivia um momento de transição para o fim do regime militar. Enquanto a política vivia novos e importantes capítulos, a economia agonizava: em 1985, a inflação média foi de 242,2%, a maior em cinco anos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mesmo em um cenário pouco favorável para o empreendedorismo, o casal Donária e Oswaldo, junto com o filho Sidney, inauguraram a loja Cidowal Móveis em janeiro de 1986. Tratava-se de uma modesta revenda de móveis populares na Avenida República Argentina, em Curitiba. Além de móveis, a pequena empresa também comercializava eletrodomésticos.

No mês seguinte, o Ministério da Fazenda lançou o Plano Cruzado. Capitaneado pelo ministro Dilson Funaro, o primeiro de uma série de planos econômicos congelou os preços de bens e serviços, fixou a taxa de câmbio e introduziu uma nova moeda no bolso dos brasileiros após 16 anos de cruzeiro: o cruzado. Num primeiro momento, o plano foi aprovado pela população, que sentiu os efeitos positivos da medida logo após entrar em vigor a nova moeda.

Com a economia aquecida novamente, foi a hora de incrementar a lojinha de móveis. Sidney e sua mulher, a psicóloga Rosilene Cury, mudaram-se de Londrina para Curitiba, enquanto o vivia um boom de consumo nos primeiros meses de cruzado. Em 1988, começaram as atividades da loja Ponto dos Colchões, com foco na revenda de colchões, camas e beliches, no Bairro Portão, onde estava situada a Cidowal. A abertura do novo empreendimento fez com que os dois negócios se separassem.

Sempre em constante crescimento, a loja vendia apenas marcas nacionais de colchões. Em meados dos anos 1990, outra vez a economia brasileira cruzaria o caminho da Maxflex. O surgimento do Plano Real, com a alta inflação aparentemente debelada para sempre, proporcionou um aumento no consumo que não ocorria desde o Plano Cruzado. A abertura da economia no começo da década também contribuiu para que a Ponto dos Colchões investisse na importação de camas, conjuntos e sistemas de dormir.  

Nessa nova fase, em 1995, surgiria a primeira loja Maxflex, situada em frente à Ponto dos Colchões. Apesar de ter os mesmos donos, o conceito era totalmente diferente: a Maxflex era mantida fechada, com ar-condicionado, showroom para experimentação dos colchões e com uma delicada mesa de café para os clientes, características inéditas para uma loja de colchões na época. A loja pioneira foi cedendo lugar à Maxflex, que começou a se expandir pela cidade. Apesar da forma diferente de apresentar o produto, o conceito de varejo de colchões permanecia o mesmo.

A fabricação de colchões próprios ocorreu quase por acaso. A empresa adquiriu uma propriedade para investimento imobiliário, e uma fábrica de colchões estava montada num barracão desse imóvel. Apesar do começo tímido, a produção prosseguiu. Porém, era necessário que fosse alcançada a autonomia na produção dos colchões e sistemas de dormir. Só assim, a Maxflex conseguiria levar produtos de qualidade para o consumidor.

A partir dos reparos feitos nos colchões revendidos, a empresa ganhou know-how para fabricar seus próprios colchões de molas. Iniciada em um momento de tensão na economia internacional – durante a crise financeira dos Tigres Asiáticos, em 1997 – a produção cresceu rapidamente: após a desvalorização do real em relação ao dólar, no começo de 1999, o custo dos produtos importados aumentou bruscamente, fortalecendo a indústria nacional.

Em 2003, com a produção de sistemas de dormir já consolidada, as lojas da Maxflex passaram a vender apenas colchões próprios. Atualmente, a empresa conta com cinco lojas espalhadas por Curitiba, empregando 74 pessoas, sendo uma das maiores empresas do setor no Paraná.

Qualidade em primeiro lugar

O principal ativo da Maxflex é a garantia de um sono com qualidade. Por isso, a empresa aposta em produtos de alta durabilidade e conforto para o consumidor. Em seus produtos, a fábrica utiliza matérias-primas sustentáveis – caso do látex 100% natural e orgânico.

Pensando na expansão de suas atividades, a fábrica mudou-se no começo de 2018 para um prédio de 8 mil m2, ampliando a capacidade de produção diária para mais de 300 colchões e 400 camas box. Desde 2008, a fábrica possui a Norma ISO 9001 em três áreas – desenvolvimento, construção e comercialização – sendo a única empresa brasileira do ramo que detém esse parâmetro, além de atender também aos critérios do Inmetro referentes à Certificação dos Colchões de Espumas e Molas.

Com a aquisição de máquinas disponíveis no mercado europeu, a partir de 2010, a Maxflex passou a investir mais fortemente em maquinário. Dessa forma, a empresa conseguiu implementar um sistema dividido em processos mapeados e cuidadosamente modelados, garantindo sua execução nos parâmetros de qualidade que havia estabelecido.

A Maxflex possui vários tipos de produtos, proporcionando uma variedade de ofertas aos clientes. Entre as opções, destaca-se a série Natural Látex, que pode ser definida em duas palavras: orgânico e sustentável. Além dos modelos pré-fabricados, a empresa também customiza a produção de acordo com a necessidade de seus clientes.

Constelação marcante

O brilho das estrelas acompanham a Maxflex desde sua criação. São o símbolo da empresa. Nas primeiras lojas abertas, o letreiro com o nome da empresa vinha acompanhado de uma pequena constelação de estrelas, ganhando destaque nas ruas de Curitiba. Após duas mudanças de identidade visual, a atual marca – nas cores roxa e branca – remete aos conceitos necessários para o sono: resiliência e conforto. Além de representar a noite, a estrela atual representa também uma pessoa deitada na cama: o consumidor Maxflex.

Prova da força dessa constelação são as pesquisas de satisfação que a empresa realiza junto de seus clientes, indicando uma nota média de 9,7 em relação à qualidade dos produtos e serviços. O processo não começou hoje: os diferenciais que a Maxflex adotou desde o começo de suas atividades é que construíram e consolidaram sua marca.

Poucas empresas resistiram aos desafios da economia brasileira e cresceram tanto como a Maxflex. Da pequena loja de móveis no Capão Raso à maior loja de colchões do mundo com 3 mil m², no bairro Santa Quitéria, a empresa mudou muito. Mas ainda continua com a mesma missão de levar produtos de qualidade aos seus clientes. Foi assim que se tornou a estrela dos colchões do Paraná e do Brasil, garantindo bons sonhos a seus clientes.



leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: