Sul gera 25,9 mil postos de trabalho em outubro

No Brasil, foram criados 57,3 mil novos empregos formais, conforme dados divulgados pelo Caged

Da Redação*

redacao@amanha.com.br

No Brasil, foram criados 57,3 mil novos empregos formais, conforme dados divulgados pelo Caged

Os índices de geração de emprego do Sul permaneceram estáveis em outubro, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (21) pelo Ministério do Trabalho. Os três estados da região registraram um aumento de 25.999 postos de trabalho, representando um avanço de 0,3% em relação a setembro. Entre janeiro e outubro, o saldo foi maior: foram criadas 147.920 novas vagas. Em outubro, a cidade que mais gerou empregos no Sul foi Curitiba (veja a tabela com os dez municípios da região que mais abriram vagas formais ao final desta reportagem). 

Em todo o país, o acréscimo foi de 57.733 postos de trabalho em outubro. No acumulado do ano, foram criados 790.579 empregos. Houve aumento no número de empregos em quatro das cinco regiões do Brasil. Depois do Sul, que liderou a geração de vagas no mês, aparecem Sudeste, com 15.988 vínculos (+0,1%); Nordeste, com 13.426 (+0,2%); e Norte, com 2.379 empregos (+0,1%). No Centro-Oeste, o saldo se manteve estável (-59 postos).

Santa Catarina foi o estado que mais gerou empregos no mês passado, com a geração de 9.743 novos postos, uma variação positiva de 0,5% em relação ao mês de setembro. O setor que mais criou empregos foi o comércio, com 4.049 postos (+0,9%), seguido por serviços, com 3.159 (+0,4%), e sucedido pela agropecuária, com o acréscimo de 761 vagas (+1,9%). No acumulado anual, porém, o segmento que mais gerou carteira assinada foi o de serviços, que registrou 23.613 vagas (+3,3%). O destaque negativo é a agropecuária, que teve um recuo de 1.612 postos (-3,8%). Ao todo, o estado soma 54.854 novos postos de trabalho desde janeiro, alta de 2,8%.

O Rio Grande do Sul abriu 9.139 vagas em outubro, variação positiva de 0,3% em relação ao mês anterior. O comércio liderou o crescimento, com a geração de 4.279 empregos (+0,7%), seguido por serviços, que gerou 3.380 vagas (+0,3%) e agropecuária, com 800 vagas (+0,9%). Apesar do bom resultado no mês, o comércio teve retração de 4.444 vagas (-0,7%) entre janeiro e outubro, atingindo o pior resultado setorial. O segmento de serviços liderou, com 20.506 novos postos (+2,1%), seguido pela indústria, com 14.266 (+2,2%). A agropecuária, assim como em Santa Catarina, também registrou resultado negativo, com fechamento de 1.616 vagas (-1,8%). No acumulado do ano, o estado criou 31.500 novos postos de trabalho (+1,2%).

O Paraná, em outubro, gerou 6.937 empregos em outubro, registrando alta de 0,2% sobre setembro. Assim como nos outros estados, o comércio puxou o aumento, com a criação de 3.028 novas vagas (+0,4%), seguido por serviços, com 2.281 postos (+0,2%), e indústria, que criou 1.550 empregos (+0,2%). Entre janeiro e outubro, o setor de serviços liderou a geração de postos de trabalho, com a criação de 37.691 vagas (+3,7%), seguido por indústria, com 12.482 empregos (+1,9%) e comércio, com 5.476 empregos (+0,8%). Ao contrário dos demais estados, a agropecuária registrou aumento de 445 vagas (+0,4%). No acumulado até aqui, o estado gerou 61.566 vagas, um aumento de 2,4% sobre igual período de 2017. 

Pos.

Cidade**

UF

Empregos

1

Curitiiba

PR

2.215

2

Porto Alegre

RS

1.437

3

Joinville

SC

1.431

4

Maringá

PR

1.095

5

Caxias do Sul

RS

640

6

Blumenau

SC

498

7

Balneário Camboriú

SC

395

8

Ponta Grossa

PR

382

9

Florianópolis

SC

379

10

Rio Grande

RS

364

**Municípios com mais de 30 mil habitantes


*Com reportagem de Italo Bertão Filho.


leia também

"Carnaval à vista" - Embora reconheça a exuberância da festa carioca, é para o eixo Recife-Olinda que se voltam meus afetos

A flexibilidade no trabalho veio para ficar? - É preciso calma e maturidade ao analisar essa tendência

A necessidade de controlar a internet nas empresas - O mau uso pode causar até mesmo demissão por justa causa

A profissão onde o salário pode ser de até R$ 100 mil - Síndicos profissionais administram vários condomínios ao mesmo tempo

A tragédia brasileira - Consola saber, contudo, que o que não falta é trabalho

A utilidade da reforma trabalhista - Patrões e empregados devem tentar transformar as novas regras em algo que seja útil à carreira de cada brasileiro

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: