Safra 2018 está entre as três melhores que o Brasil já teve

ANV mostra qualidade dos vinhos base espumante, brancos e tintos

Por Marcos Graciani, de Bento Gonçalves (RS)

graciani@amanha.com.br

Safra 2018 está entre as três melhores que o Brasil já teve

A Safra 2018 está entre as três melhores já registradas no Brasil, dividindo holofotes com as de 2005 e 2012. A qualidade foi provada e atestada por 12adas por um público de cerca de mil apreciadores durante a 26ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2018, no sábado (29), em Bento Gonçalves (RS).

“Esta Avaliação é muito especial. Estamos falando de uma safra histórica, uma safra que está entre as três melhores da história do Brasil. O tempo colaborou, a tecnologia nas vinícolas ajudou e a maturidade de nossos enólogos transformou a uva em vinho de altíssima qualidade. O reconhecimento foi unânime e hoje estamos compartilhando com vocês na representação de 16 amostras”, revelou o enólogo Edegar Scortegagna, presidente da Associação Brasileira de Enologia (ABE). Ele destacou o trabalho dos enólogos. “A Avaliação Nacional de Vinhos carrega a marca do vinho brasileiro. Pelo vinho brasileiro, nós, da ABE, nos unimos e evoluímos ao longo do tempo para nos tornarmos um exemplar cheio de tipicidade institucional. Assim, criamos e maturamos a Avaliação, sendo decisivos na evolução qualitativa da bebida no Brasil. Fizemos isso porque somos os enólogos de um país que é por natureza vários países. Somos os enólogos do Brasil, da Associação Brasileira de Enologia, da Avaliação Nacional de Vinhos”, concluiu Scortegagna.

Pela primeira vez na história da Avaliação Nacional de Vinhos, a Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) – entidade máxima do mundo vitivinícola com sede em Paris –, esteve presente no evento com sua presidência. A brasileira Regina Vanderlinde, que assumiu a instituição no início de julho, integrou o painel de comentaristas.

Entre as 16 amostras mais representativas, chamou a atenção o Tannat, produzido pela Casa Valduga, que ganhou 92 pontos na seleção. Entre os brancos, se destacaram o Chardonnay, da Vinícola Garibaldi e o Sauvignon Blanc, da Vinícola Família Lemos de Almeida, de Muitos Capões (RS). Já nos vinhos base para espumante, onde todos receberam nota 89, Cepas & Cifras destaca uma ótima impressão do Pinot Noir, da Domno, além do assemblage de uvas tintas (Merlot/Petit Verdot/Cabernet Sauvignon), de autoria da Vinícola Galvão Bueno (acompanhe, ao final, a relação das 16 amostras mais representativas da safra). Na última década, a Safra 2018, foi a que conquistou a maior média das 16 amostras (86,6).

Troféu Vitis 2018
Desde 1993, a ABE homenageia figuras que dedicam seu tempo, conhecimento e talento para a promoção e valorização do vinho brasileiro. Neste ano, a entidade entregou o Troféu Vitis Amigo do Vinho Brasileiro 2018 para o empresário do turismo Tarcísio Vasco Michelon, diretor superintendente da Rede de Hotéis Dall’Onder, idealizador dos Caminhos de Pedra, da Maria Fumaça, do Cicloturismo, do Instituto Tarcísio Michelon e do Parque de Esculturas Domadores de Pedra, entre inúmeros outros projetos. Presidente da Fenavinho por três edições, tem forte relação com o desenvolvimento do enoturismo na Serra Gaúcha. Ele também lidera o projeto de expansão da rede de hotéis com abertura de unidades em Caxias do Sul, Garibaldi e Bento Gonçalves. E o Troféu Vitis Destaque Enológico 2018 foi entregue ao enólogo Antônio Salvador, diretor da Vinícola Salvattore. Um dos fundadores da Associação Brasileira de Enologia, começou sua trajetória de enólogo na década de 1970, tendo atuado em diversas vinícolas antes de ter seu próprio negócio. Com um laboratório em casa, prestou assessoria para cerca de 40 vinícolas. Viveu 47 safras e hoje com a família dirige sua própria vinícola.

16 vinhos representativos da Safra 2018

Categoria: Vinho Base para Espumante
Domno do Brasil (Garibaldi). Pinot Noir (nota 89)
Vinícola Geisse (Pinto Bandeira). Chardonnay/Pinot Noir (nota 89)
Vinícola Galvão Bueno (Candiota). Merlot/Petit Verdot/Cabernet Sauvignon (nota 89)

Categoria: Branco Fino Seco Não Aromático
Vinícola Almadén (Santana do Livramento). Riesling renano (nota 87)
Cooperativa Vinícola Aurora (Bento Gonçalves). Chardonnay (nota 88)
Cooperativa Vinícola Garibaldi (Garibaldi). Chardonnay (90)

Categoria: Branco Fino Seco Aromático

Vinícola Família Lemos de Almeida (Muitos Capões). Sauvignon Blanc (nota 90)
Hortência Vinhos e Espumantes (Flores da Cunha). Moscatto Giallo (nota 89)

Categoria: Tinto Fino Seco Jovem
Vinícola Salton (Bento Gonçalves). Cabernet Franc (nota 88)

Categoria: Tinto Fino Seco
Vinícola Don Guerino (Alto Feliz). Merlot (nota 90)
Rasip Alimentos (Vacaria). Merlot (nota 90)
Estabelecimento Vinícola Valmarino (Pinto Bandeira). Cabernet Franc (nota 89)
Vinícola Almaúnica (Bento Gonçalves). Cabernet Sauvignon (nota 89)
Vinícola Miolo (Bento Gonçalves). Cabernet Sauvignon (nota 90)
Família Bebber Vinícola (Flores da Cunha). Tannat (nota 90)
Casa Valduga Vinhos Finos (Bento Gonçalves). Tannat (nota 92)


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: