Plano de investimentos da Petrobras deve atingir US$ 165 bilhões

Corte de 40% animou o mercado

Por Infomoney

Plano de investimentos da Petrobras deve atingir US$ 165 bilhões

Considerado um dos principais catalisadores da companhia, o plano de negócios da Petrobras (PETR3;PETR4) segue gerando ruídos no mercado, mesmo sem ainda ter uma data oficial para ser divulgado. Na terça-feira (23), as ações da estatal estavam subindo, mas viraram para queda nos minutos finais do pregão e fecharam em baixa superior a 1% em meio à notícia de que o corte de investimentos seria de cerca de 25%, abaixo do esperado pelo mercado. Em vez dos US$ 220,4 bilhões previstos inicialmente no prazo de cinco anos, como definido no plano de negócios para o período de 2014 a 2018, o investimento ficaria na casa dos US$ 165 bilhões.

O Itaú BBA destaca em relatório, que se confirmado, o número poderia levar a uma reação negativa do mercado. Porém, a corretora ainda vê o cenário com cautela, uma vez que os US$ 165 bilhões poderiam ser relacionados ao plano completo da empresa. "Nós, portanto, permanecemos cautelosos sobre a notícia, dado que o Capex para os projetos aprovados poderia ser menor", escrevem os analistas. Contudo, uma outra notícia está animando os mercados: em Nova Iorque, os American Depositary Receipts (ADRs) referentes aos papéis ordinárias da Petrobras registram ganhos de 0,64%, a US$ 9,50, no pré-market. Isso porque, segundo a própria Agência Estado, o corte no plano de investimentos da Petrobras para o período de 2015 a 2019 ficará próximo a 40%, com o novo orçamento em torno dos US$ 130 bilhões. Diante das dificuldades financeiras da estatal, a nova gestão preferiu adotar uma redução drástica do orçamento, em linha com o que espera o mercado.

A proposta será analisada pelo conselho de administração na sexta-feira (26), mas é possível que o colegiado não chegue a uma conclusão e a divulgação do valor seja adiada. Os membros do colegiado podem precisar de mais de um encontro para chegar a um valor definitivo. Em comunicado nesta quarta-feira, a Petrobras afirmou que o Plano de Negócios e Gestão 2015-2019 ainda está em elaboração. "Fatos julgados relevantes serão oportunamente comunicados ao mercado", se limitou a afirmar. Na nota, a companhia não determinou uma data para a divulgação, amplamente esperada pelo mercado.

Com isso, o estrategista-chefe da XP Investimentos, Celson Plácido, destaca que as expectativas pelo plano de negócios continua – e as possibilidades seguem em aberto. "Se o corte dos investimentos for de 40%, será positivo para as ações; se for de 25%, será negativo". Assim, o mercado segue na expectativa e ainda sem uma pista concreta sobre o que está por vir.  "Os investidores devem se atentar em relação ao desinvestimentos e também em relação aos preços de derivados aqui no Brasil – no caso de ser anunciada alguma metodologia de preços, o que seria positivo para as ações. No entanto, a cada 10% de aumento na gasolina, o impacto é de 0,37 ponto percentual na inflação. Aliado a isso, se vier uma mudança no modelo de partilha, que a presidente Dilma vem negando, isso também seria positivo para as ações", calcula Plácido.



leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: