Volume de serviços recua 2,2% de junho para julho

Transportes e correio puxaram queda, informa IBGE

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Transportes e correio puxaram queda de serviços entre junho e julho,informa IBGE

O volume do setor de serviços caiu 2,2% em julho deste ano na comparação com o mês anterior. A queda veio depois do avanço de 4,8% de junho. O dado é da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa também recuou na comparação com julho de 2017 (-0,3%), no acumulado do ano (-0,8%) e no acumulado de 12 meses (-1%). Apesar da queda, no acumulado de 12 meses, os serviços apresentam uma trajetória de recuos cada vez mais moderados, que começou depois de abril de 2017, quando o setor caiu 5,1%. A receita nominal retraiu 0,5% na passagem de junho para julho, mas cresceu 3,7% na comparação com julho de 2017, 1,7% no acumulado do ano e 2,6% no acumulado de 12 meses.

Dos cinco segmentos de serviços pesquisados, apenas os serviços prestados às famílias tiveram crescimento no volume na passagem de junho para julho (3,1%). Entre os quatro segmentos em queda, destaca-se o de transportes e correio, que recuou 4%. Os demais segmentos tiveram as seguintes quedas: serviços de informação e comunicação (-2,2%), serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,1%) e outros serviços (-3,2%).


leia também

Atividade industrial chega a 69% da capacidade em agosto - A recuperação segue em marcha lenta, nota CNI

Brasil deve ter neste ano safra 29,2% maior do que em 2016 - As três principais lavouras de grãos deverão ter crescimento

Brasil registra deflação de 0,09% em agosto - Passagens aéreas ajudam a puxar queda do IPCA no mês

Comércio tende a mergulhar mais profundamente em 2016 - O segmento de bens e serviços terá dois anos de resultados negativos

Conab estima queda de 5,4% na safra de grãos - Produção brasileira deve chegar a 196,5 milhões de toneladas

Conab estima recorde da safra de grãos - A previsão é impulsionada pela soja e pelo milho

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: