Guardia descarta intervenção para conter dólar nas alturas

Para ministro da fazenda, fatores internacionais valorizam a moeda

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Guardia descarta intervenções para conter alta do dólar

O governo não pretende agir para segurar o dólar, afirmou o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. Em viagem a Fortaleza, ele afirmou que a volatilidade da moeda norte-americana nas últimas semanas ainda não motivou nenhuma medida por parte da equipe econômica. De acordo com Guardia, boa parte das altas recentes deve-se a fatores internacionais, sobre os quais o governo não tem controle. “Não há nenhuma medida para ser tomada neste momento. O que existe são movimentos internacionais que têm pressionado moedas de países emergentes, como o Brasil”, declarou o ministro após evento na sede do Banco do Nordeste na capital cearense.

Guardia ressaltou que o governo está acompanhando a situação e acrescentou que somente reformas estruturais que reequilibrem as contas públicas conseguirão aumentar a resistência do país a crises “agora e no futuro”. Caso contrário, os futuros governos terão de aumentar a carga tributária. “O problema do déficit público brasileiro é o crescimento acelerado da despesa. Nós precisamos reverter essa tendência”, destacou.


leia também

Banco Central atua e dólar fecha o dia cotado a R$ 4,14 - Ação conteve a disparada da moeda que superou R$ 4,20

Dólar abre a semana em queda, cotado a R$ 4,08 - O índice reverte tendência de valorização da moeda norte-americana

Dólar abre semana com valorização de 1,4% - Moeda fechou agosto com alta acumulada de 8,4%

Dólar começa setembro em alta, cotado a R$ 4,15 - Banco Central seguiu sem realizar nenhum leilão extraordinário

Dólar é cotado acima de R$ 4 pelo sexto pregão seguido - Analistas não descartam que moeda alcance R$ 5 com eleições

Dólar encerra a quinta-feira cotado a R$ 4,19 - Moeda atinge maior valor desde o Plano Real

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: