RS e União assinarão acordo prévio de adesão ao RRF

Ato caberá aos próximos presidente e governador eleitos

RS e União assinarão acordo prévio de adesão ao RRF. Ato caberá aos próximos presidente e governador eleitos

Ao final da segunda rodada de negociações entre a missão liderada pelo vice-governador gaúcho José Paulo Cairoli e o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, ficou acertado que Estado e União assinarão um acordo prévio de adesão do Rio Grande do Sul ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). O encontro ocorreu nesta terça-feira (11), em Brasília. 

"O Ministério fará o documento, do qual participaremos da elaboração e que será o acordo prévio que estávamos buscando há alguns meses. Teremos o tempo necessário, até a assinatura do acordo final, para cumprir todas as exigências previstas", destacou Cairoli. Agora caberá ao próximo presidente e ao próximo governador assinarem o acordo final, como já estava programado. E a equipe técnica montada para acompanhar todo o processo em níveis federal e estadual deve ser a mesma no próximo ano.

O RRF foi criado pelo governo federal para oferecer aos estados com grave desequilíbrio financeiro instrumentos para o ajuste das contas. No caso do Rio Grande do Sul, o Regime possibilita a suspensão por 36 meses (prorrogáveis por mais 36) do pagamento da dívida com a União, aliviando o caixa do Estado em R$ 11,3 bilhões até 2020. Aderindo ao RRF, o Estado também fica autorizado a contratar novos financiamentos.


leia também

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

Câmara aprova projeto sobre dívida dos Estados - O projeto prevê, por exemplo, redução de incentivos tributários

Dívida da maioria dos estados caiu no primeiro semestre - Paraná e Santa Catarina reduziram o endividamento enquanto o débito gaúcho aumentou

Estados sob rédea curta - Para Zeina Latif, se União quer alcançar disciplina fiscal, deve ser rígida na cobrança de dívidas dos entes federativos

Estados terão 10 anos para obterem meta de gastos da LRF - Prazo ainda é considerado curto por alguns governadores, afirma Amin

Região Sul luta por redução de juros na dívida com União - Santa Catarina e Rio Grande do Sul contestam cálculo do governo federal

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: