Dólar volta ao patamar de R$ 4,15, após três pregões de baixa

Investidores reagem ao anúncio de pesquisa eleitoral

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Dólar abre em alta de 1,5% cotado a R$ 4,15 após anúncio de pesquisa eleitoral

Depois de três pregões em baixa, a cotação da moeda norte-americana fechou esta terça-feira (11) em alta de 1,4%, valendo R$ 4,1542 para venda, o segundo maior patamar desde janeiro de 2016. Nos três pregões em baixa, o dólar acumulava um recuo de 1,4%. 

Os investidores reagem ao anúncio da pesquisa da Datafolha que não mostrou enfraquecimento de candidatos não ligados a uma agenda de reformas. O Banco Central segue com a política tradicional de venda de swaps cambiais, sem nenhuma oferta extraordinária de venda futura do dólar.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), encerrou o pregão em queda de 2,3%, com 74.656 pontos. Os papéis da Petrobras também fecharam em baixa, desvalorizadas em 3,7%, com Itau perdendo 3,6% e Bradesco retraindo 3,5%.


leia também

Banco Central atua e dólar fecha o dia cotado a R$ 4,14 - Ação conteve a disparada da moeda que superou R$ 4,20

Dólar abre a semana em queda, cotado a R$ 4,08 - O índice reverte tendência de valorização da moeda norte-americana

Dólar abre semana com valorização de 1,4% - Moeda fechou agosto com alta acumulada de 8,4%

Dólar começa setembro em alta, cotado a R$ 4,15 - Banco Central seguiu sem realizar nenhum leilão extraordinário

Dólar é cotado acima de R$ 4 pelo sexto pregão seguido - Analistas não descartam que moeda alcance R$ 5 com eleições

Dólar encerra a quinta-feira cotado a R$ 4,19 - Moeda atinge maior valor desde o Plano Real

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: