Brookfield adquire controle da paranaense Ouro Verde

Companhia foi arrematada por R$ 660 milhões

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Brookfield adquire controle da paranaense Ouro Verde

A Ouro Verde informou nesta sexta-feira (31) que assinou um acordo para a aquisição de controle, pela Brookfield, no percentual de 55% do capital pelo valor total de R$ 660 milhões. De acordo com o fato relevante publicado pela companhia paranaense, a operação impulsiona o potencial de crescimento e desenvolvimento da Ouro Verde, ao posicioná-la adequadamente para capitalizar as tendências e oportunidades por conta da ampliação dos negócios de gestão de frota no Brasil. A transação estará condicionada ao parecer favorável de órgãos como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), estimada para ocorrer antes do fim deste ano.  

A Brookfield é listada nas bolsas de valores de Nova Iorque e Toronto. É o carro-chefe de negócios industriais e de serviços da Brookfield Asset Management (“BAM”). A BAM é uma gestora global de ativos com aproximadamente US$ 285 bilhões em ativos sob gestão, com operações em mais de 30 países e uma história de mais de 115 anos como investidora e operadora de ativos reais, com foco em investimentos imobiliários, energia renovável, infraestrutura e private equity. No Brasil, onde está presente desde 1899, a BAM detém um portfólio de aproximadamente R$ 77 bilhões em ativos sob gestão, o que a coloca como uma das maiores plataformas de investimentos no país. Suas operações estão presentes em 20 estados brasileiros e empregam mais de 20 mil funcionários. 

“A Ouro Verde tem conseguido balancear ao fazer investimentos necessários para uma frota moderna e atualizada e, ao mesmo tempo, não deixando que a dívida aumente”, avaliou Karlis Jonatan Kruklis, em entrevista concedida ao portal AMANHÃ no ano passado. Segundo o CEO, que também acumula o cargo de diretor de finanças e de relações com investidores, a principal estratégia da companhia nos últimos anos tem sido a de aumentar a rentabilidade operacional por meio das reduções de custos e despesas e investimentos seletivos. 


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: