BC ofertará dólares de reservas para segurar alta da moeda

A cotação está sendo influenciada pela turbulência do mercado financeiro

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Banco Central ofertará dólares de reservas para segurar alta da moeda



Na terça-feira (28), dia em que a moeda norte-americana fechou no segundo maior nível desde a criação do Real, o Banco Central (BC) anunciou que venderá dólares das reservas internacionais com compromisso de recomprá-las mais adiante. Em comunicado emitido no início da noite desta terça-feira (28), a autoridade monetária informou que ofertará até US$ 2,15 bilhões na próxima sexta-feira (31). Serão feitos dois leilões, um às 12h15 e outro às 12h35. As ofertas, no entanto, não ampliarão o total de dólares injetados no mercado. Os leilões ajudarão o BC a rolar (renovar) contratos de leilões com compromisso de recompra que venceriam no início do próximo mês.

Com os leilões, os dólares das reservas internacionais, que voltariam para o BC em 5 de setembro, continuarão no mercado. Uma parte circulará até 5 de novembro; e outra, até 4 de dezembro. Caso os contratos não fossem renovados, a oferta da divisa diminuiria, pressionando a cotação do dólar ainda mais para cima. A cotação está sendo influenciada pela turbulência do mercado financeiro à medida que as eleições de outubro se aproximam.


leia também

A mudança no comportamento do eleitor está por vir - Candice Pascoal explica os efeitos do crowfunding na política brasileira

Ampliação da vantagem de Bolsonaro faz dólar recuar - Bolsa fecha a terça em alta com publicação de pesquisas

As "veias abertas" e Temer - Nada nos autoriza a esperar que um mandato-tampão venha a encantar ou reverter os rumos de uma república minada

Banco Central atua e dólar fecha o dia cotado a R$ 4,14 - Ação conteve a disparada da moeda que superou R$ 4,20

Bancos oferecem a clientes venda de dólares em caixa eletrônico - O limite para saques pelo modelo é o autorizado pelo Banco Central, de US$ 3 mil por dia

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: