A falta de orçamento para TI pode comprometer o negócio

Não é uma boa ideia economizar comprando equipamentos antigos

Por Telium

A falta de orçamento para TI pode comprometer o negócio, revela Telium

As empresas vêm realizando grandes investimentos por causa da velocidade das mudanças tecnológicas. Mesmo com as instabilidades políticas e financeiras atuais, as despesas de TI fazem parte desse aporte. O grande desembolso, por parte das corporações, se justifica pela necessidade dos empresários terem à disposição as melhores ferramentas para oferecer um serviço de melhor qualidade aos seus clientes. Porém, a falta de um bom planejamento pode comprometer o orçamento de novas tecnologias para o negócio. Eis, a seguir, alguns pontos importantes a serem considerados quando uma empresa decidir aportar recursos em TI. 

Saiba o valor gasto em despesas de TI
De acordo com a Gartner, empresa responsável por realizar pesquisas sobre tecnologia, as despesas globais de TI deverão totalizar US$ 3,7 trilhões neste ano, um aumento de 4,5% comparado com 2017. Mesmo com os possíveis impactos originados pelo Brexit (a saída do Reino Unido da União Europeia) e pela recessão econômica, pela qual alguns países estão passando, os empreendedores não desanimam. A previsão é que as empresas continuem investindo em TI. Segundo a pesquisa, os softwares corporativos têm contribuído para o crescimento das despesas mundiais, projetando um aumento de 9,5% no ano de 2018, chegando ao valor de US$ 389 bilhões. De acordo com os dados, estima-se que as corporações elevem mais ainda os investimentos até dezembro, com foco no desenvolvimento de sistemas de gestão corporativa, principalmente no modelo SaaS (Software como Serviço).

Previsão dos gastos com TI
Para que uma empresa que disponha das melhores tecnologias, é preciso ter um planejamento efetivo, a fim de não comprometer sua saúde financeira. Por esse motivo, o empreendedor deve fazer um orçamento sobre todas as tecnologias que deverão ser implementadas no departamento de TI. Assim, será possível desenvolver uma visão mais ampla do quanto será desembolsado, sendo possível agir preventivamente diante de eventuais problemas.

Planejar para investir
Antes de iniciar a etapa de orçamento, para investir em TI é preciso se planejar financeiramente. Uma alternativa é listar todos os gastos e investimentos do ano anterior, a fim de ter uma previsibilidade das necessidades da área de TI. Para evitar problemas, é preciso colocar no papel qual o valor a ser investido em cada tecnologia. Em seguida, ordenar por prioridades e entender quais devem ser implementadas primeiramente.

Preparar a mudança
Para comportar a instalação de novas tecnologias, é preciso verificar se a equipe e equipamentos terão condições de receber o investimento. Para evitar surpresas, é necessário considerar pontos no orçamento, como os listados a seguir. 

Aquisição de novos equipamentos
Algumas empresas, com a intenção de economizar, procuram aproveitar equipamentos antigos. No entanto, deveriam levar em consideração a troca, pois o uso das máquinas desgastadas pode não apenas levar à perda de performance, prejudicando o rendimento do trabalho, como é possível que as novas plataformas não sejam compatíveis com o dispositivo defasado, como na mudança de servidores.

Licenças
Após o prazo de vencimento, verificar a possibilidade de conseguir alguma vantagem ao renovar ou adquirir mais licenças, tanto para as máquinas de trabalho, quanto para servidores.

Gestão de pessoas
Para atender às demandas, o empreendedor deve ficar atento aos colaboradores que já fazem parte do quando funcional da  empresa; caso seja necessário, investir em treinamentos e capacitações. Se a demanda for maior que a esperada, procurar fazer novas contratações ou delegar o serviço para parceiros. 

Os processos descritos acima se tornam essenciais para a mudança no empreendimento. Com o apoio de profissionais capacitados e equipamentos apropriados, a empresa estará preparada para receber as novidades tecnológicas. Então, é hora de dar os passos seguintes. 

Organização das finanças 
Para ter melhor controle dos gastos, receitas e investimentos, é preciso se apoiar em ferramentas, como as planilhas de Excel ou, até mesmo, um software de gestão financeira. Os gestores devem verificar qual a melhor delas para o seu uso e, principalmente, se atende às expectativas. Certificar que seja de fácil acesso para que, quando ocorra alguma mudança, se possa fazer uma anotação no mesmo momento é algo que deve ser levado em conta. 


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: