Dólar opera em queda depois de sete altas seguidas

No ano, valorização da moeda norte-americana já é de 24%

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Dólar opera em queda depois de sete altas seguidas

O dólar fechou em queda esta sexta-feira (24), depois de ter experimentado altas por sete pregões consecutivos. A moeda norte-americana recuou 0,4%, vendida a R$ 4,1047. O dólar turismo, sem a cobrança de IOF, chegou a ser negociado a R$ 4,26. Na véspera, a divisa dos Estados Unidos fechou em alta de 1,7%, a R$ 4,12, no maior patamar em quase três anos. A última vez que o dólar havia fechado acima de R$ 4,12 foi em 23 de setembro de 2015 (R$ 4,14). Nas casas de câmbio, a moeda foi comercializada acima de R$ 4,50. Desde janeiro, o dólar acumula valorização de mais de 24% contra o real. A tendência de alta, que havia perdido fôlego a partir de junho, voltou em agosto em meio às incertezas eleitorais e ao cenário externo menos favorável, fazendo o dólar saltar do patamar de cerca de R$ 3,70 aos atuais R$ 4.

Investidores estão adquirindo dólares por causa dos resultados recentes das pesquisas eleitorais. O cenário revela fraqueza de candidatos que defendem reformas alinhadas com o mercado. Analistas avaliam que o Banco Central (BC) seguirá não interferindo no mercado cambial, visto que o movimento do real, apesar de pautado principalmente pelas eleições, não está muito diferente do comportamento de outras moedas de países emergentes. O que reforça a posição do BC é que não há falta de liquidez no mercado, nem fuga de capital. O movimento, segundo economistas, é pela busca de proteção, o que pressiona a moeda. Ou seja, turistas, exportadores e companhias com dívidas em dólar compram e fazem com que o preço se eleve. Dados do BC revelam que houve retirada de US$ 2,4 bilhões do país até 17 de agosto. No acumulado no ano, o saldo ainda é positivo, com uma entrada líquida de US$ 25,9 bilhões.


leia também

Dólar encerra a quinta-feira cotado a R$ 4,19 - Moeda atinge maior valor desde o Plano Real

Dólar fecha a R$ 4, maior valor desde fevereiro de 2016 - Mercado teme candidatos menos comprometidos com reformas

Dólar fecha o dia com alta de 1,6%, cotado a R$ 4,12 - Banco Central segue sem realizar swaps cambiais

Guardia descarta intervenção para conter dólar nas alturas - Para ministro da fazenda, fatores internacionais valorizam a moeda

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: