Dólar fecha em alta e atinge R$ 4,055

Mercado financeiro reage às incertezas do cenário político

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Dólar fecha em alta e atinge R$ 4,055. Mercado financeiro reage às incertezas do cenário político

Pelo sexto pregão consecutivo, o dólar fechou esta quarta-feira (22) em alta no valor de R$ 4,0559 na venda, maior nível desde 16 de fevereiro passado. Na terça-feira (21), a moeda norte-americana encerrou o dia ultrapassando os R$ 4, pela primeira vez desde fevereiro de 2016. Para analistas econômicos, o mercado financeiro reage às incertezas do cenário político e às indicações de aumento dos juros pelo Banco Central dos Estados Unidos, influenciando um movimento no fluxo de capital nas demais bolsas de valores.

O Banco Central brasileiro segue com a política tradicional de swaps cambiais, sem leilões extraordinários de venda futura do dólar, medida adotada nos meses passados para conter a alta da moeda. O sexto pregão seguido em alta representa um aumento acumulado de 4,89% da moeda norte-americana.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), encerrou o pregão de hoje descolado da alta do dólar ficando em alta de 2,3%, com 76.902 pontos. A recuperação da Bovespa foi alavancada pela valorização das ações das principais empresas, como os papéis da Petrobras, encerrando com alta de 3,5%; a Vale, com valorização de 3%; o Bradesco, subindo 2,4%; e Itaú, com aumento de 2,3%.


leia também

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A crise no terceiro parceiro comercial do Sul - Casa Rosada anuncia pacote econômico. Indústria brasileira começa a evitar vendas a prazo na Argentina

A mudança no comportamento do eleitor está por vir - Candice Pascoal explica os efeitos do crowfunding na política brasileira

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Agosto, o pior mês do ano para o Ibovespa - Bolsa acumula queda de 24,6% e dólar comercial totaliza alta de 33%

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: