Copel fatura R$ 6,9 bilhões entre janeiro e junho

Lucro avançou 21,8% totalizando R$ 692,2 milhões

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Copel fatura R$ 6,9 bilhões entre janeiro e junho de 2018

A Copel registrou receita líquida de R$ 6,9 bilhões entre janeiro e junho. O total é 7,5% maior do que igual período de 2017. O aumento do faturamento foi reflexo, principalmente, da melhoria de 17,7% na receita com fornecimento de energia elétrica em função do número maior de clientes livres na Copel Comercialização e do reajuste tarifário da Copel Distribuição, que elevou a tarifa em 10,2%. Jonel Iurk, presidente da Copel, destacou o caixa gerado pelas atividades operacionais no segundo trimestre. “O valor foi de aproximadamente R$ 1 bilhão, uma melhora de 10,7% em relação ao mesmo período de 2017. No ano, as atividades operacionais já proporcionaram um caixa de R$ 2 bilhões, montante R$ 359 milhões maior do que no ano passado”, revelou. 

A companhia ambiciona resolver dentro de três meses o seu plano de desinvestimentos. A estatal está avaliando um conjunto de 20 projetos que podem ser colocados à venda. A empresa não detalha quais empreendimentos estão sob análise. "Hoje temos em andamento a avaliação de 20 projetos. Desse total, nós já temos um cenário. Temos de ser cirúrgicos no processo, em que nós vamos desalavancar alguma coisa, para que possamos competir e termos recursos no futuro para termos projetos equivalentes ou melhores que esses", anunciou José Marques Filho , diretor de Desenvolvimento de Negócios da Copel , em teleconferência com analistas e investidores sobre os resultados do segundo trimestre de 2018. "Acredito que em mais três meses nós já tenhamos um planejamento bem fino do que pretendemos fazer de desinvestimentos", previu o diretor.

O lucro líquido saltou para R$ 692,2 milhões no primeiro semestre, um avanço de 21,8%. No que depender de algumas ações da estatal paranaense, a última linha do balanço poderá vir ainda melhor nos próximos trimestres. A Copel Distribuição implantou em Curitiba um projeto-piloto desenvolvido com o objetivo reduzir a inadimplência dos clientes e, principalmente, evitar os custos e a perda da satisfação relacionada à suspensão do fornecimento de energia por falta de pagamento da conta de luz.

O projeto permite que os clientes paguem as faturas em aberto no momento em que o técnico da empresa for realizar o corte no fornecimento. Para tanto, os técnicos estarão equipados com máquinas on-line de cartão de débito e crédito, gerando as contas pendentes na própria máquina e possibilitando uma última chance para o consumidor resolver suas pendências, inclusive com opção de parcelamento em até 12 vezes. Em duas semanas de atuação, as equipes evitaram 237 cortes no fornecimento, que seriam efetuados caso os consumidores não tivessem realizado a quitação dos débitos no momento da visita dos eletricistas.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: