Gerdau amplia receita graças aos Estados Unidos – e ao câmbio

A economia norte-americana segue crescendo e o país comemora a menor taxa de desemprego dos últimos 50 anos

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Gerdau amplia receita graças aos Estados Unidos – e ao câmbio

A melhoria dos mercados de atuação da Gerdau – principalmente Brasil e Estados Unidos –, somada à variação cambial da moeda brasileira, ampliou sua receita líquida consolidada para R$ 12 bilhões no segundo trimestre de 2018, 31% de crescimento sobre o mesmo período do ano anterior. As vendas físicas, por sua vez, chegaram a 3,8 milhões de toneladas, uma evolução de 3% perante os meses de abril a junho de 2017. Já o lucro líquido ajustado, excluindo principalmente os efeitos não-recorrentes pela venda da operação no Chile, passou de R$ 147 milhões no segundo trimestre de 2017 para R$ 746 milhões no segundo trimestre de 2018. Mas esses não foram os únicos bons resultados apresentados pela Gerdau entre abril e junho. A geração de caixa operacional (conhecida pela sigla Ebitda) chegou a R$ 1,8 bilhão no segundo trimestre, alcançando seu melhor desempenho trimestral dos últimos dez anos. Em relação ao mesmo período do ano anterior, o índice apresentou evolução de 57% (veja alguns dos principais indicadores do balanço na tabela ao final desta reportagem). 

Os Estados Unidos ajudaram a impulsionar os resultados da fabricante de aço. A melhoria foi influenciada pela melhoria do mercado e pelos efeitos positivos da reforma tributária e da seção 232 para as empresas com produção local de aço. A medida do governo do presidente Trump prevê aumento de tarifas de importação sobre o aço e alumínio. De acordo com Gustavo Werneck, diretor-presidente da Gerdau, a economia norte-americana segue crescendo e o país comemora a menor taxa de desemprego dos últimos 50 anos. “Esses fatores devem continuar contribuindo com nossa operação”, avalia Werneck. Porém, o CEO acredita plano para modernizar a infraestrutura dos Estados Unidos – iniciativa que inclui US$ 200 bilhões de fundos públicos para diversas obras e também aponta para estimular contribuições de US$ 1,3 trilhão de estados e empresas para modernizar estradas, pontes e aeroportos – que traria benefícios para a empresa só sairá do papel no próximo ano. Na apresentação dos resultados nesta quarta-feira (8), Werneck também anunciou que a empresa passou a contar com um escritório no Vale do Silício, estabelecido para prospectar novos negócios e oferecer soluções inovadoras para os clientes. 

Na perspectiva nacional, Werneck entende que o setor de construção civil começará a demandar aço para obras de residências para consumidores de baixa renda a partir de agora. No entanto, imóveis de alto padrão e obras de infraestrutura somente iniciarão a retomada somente em 2019. O CEO lembrou que a companhia possui 76 filiais da Comercial Gerdau em todo o Brasil, divisão de negócio voltada aos profissionais da construção civil. Com a melhora do mercado de aço mundial, a companhia também está aproveitando para reajustar preços de seus produtos. A Gerdau não detalha sua politica comercial no mercado interno, mas Werneck declarou que ajustes foram feitos para a empresa se adequar aos novos valores de fretes e de alguns insumos durante o primeiro semestre. 

Informações selecionadas

2º Tri 18

2º Tri 17

Var. (%)

1º Tri 18

Var. ( %)

Vendas
(Mil Toneladas)

3.834

3.707

3,4

3.871

(1,0)

Receita Líquida
(R$ Milhões)

12.035

9.166

31,3

10.389

15,8

Margem Ebitda ajustada  (%)

14,6

12,2

 

14,3

 

Lucro bruto
(R$ Milhões)

1.644

937

75,5

1.339

22,8


leia também

Brasil e América do Norte puxam resultado da Gerdau - Empresa prevê aumento da capacidade instalada nos EUA

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: