Saldo da balança do Sul tem queda de 16,3% até julho

Diferença entre exportações e importações chega a R$ 5,8 bi

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Saldo da balança do Sul tem queda de 16,3% até julho

A balança comercial da região Sul mostrou saldo positivo de US$ 5,8 bilhões no acumulado até julho. Entre janeiro e julho, foram exportados US$ 27,6 bilhões – aumento de 20,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, enquanto as importações chegaram a US$ 21,8 bilhões, alta de 36,5% em relação ao acumulado até julho de 2017. Os números foram divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). No acumulado do ano, a região tem um superávit comercial de US$ 5,8 bilhões, queda de 16,3% frente ao total dos sete meses do ano passado.

Nos números por estado, o Rio Grande do Sul fechou o acumulado até julho com saldo positivo de US$ 5,6 bilhões, enquanto o Paraná teve balanço positivo de US$ 3,9 bilhões. Santa Catarina apresentou saldo negativo em US$ 3,7 bilhões (confira os detalhes no quadro abaixo). Os principais produtos da pauta exportadora da região em junho foram soja (inclusive triturada) e frango.

Balança Comercial do Sul – Janeiro-Julho de 2018  

 Exportação

 Importação

Saldo

US$ Milhões FOB (A)

Var (%)

US$ Milhões FOB (B)

Var (%)

US$ Milhões FOB (A) - (B)

RS

11.932,48

20,7

6.287,49

19,9

5.644,99

PR

10.632,43

(0,8)

6.694,15

2,8

3.938,28

SC

5.077,1

3,2

8.830,82

27,8

(3.753,72)

Total Sul

27.642,01

20,4

21.812,46

36,5

5.829,55

 


leia também

Balança comercial bate novo recorde em outubro - No ano, o saldo acumula superávit de US$ 58,5 bilhões

Balança comercial encerra 2017 com melhor saldo positivo da história - No ano passado, o Brasil exportou US$ 67 bilhões a mais do que importou. MDIC projeta saldo de US$ 50 bilhões em 2018

Balança comercial fecha janeiro com o maior saldo para o mês em 12 anos - O reaquecimento da economia também fez a importação continuar a subir no período

Balança comercial tem superávit mais baixo para agosto em três anos - O recuo do saldo deve-se ao maior crescimento das importações em relação às exportações, revela MDIC

Balança fecha fevereiro com maior superávit para o mês em 30 anos - O reaquecimento da economia também fez as importações continuarem a subir no mês

Balança tem superávit recorde em setembro - Desempenho se deve ao avanço dos preços das commodities

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: