Como definir uma rotina de backup?

Eis as principais razões para aplicá-la de forma eficiente

Por Telium

Eis as principais razões para aplicar a rotina de backup de forma eficiente em sua empresa

A rotina de backup hoje não é levada a sério por muitas empresas, sendo realizada de forma displicente e sem muito controle. No entanto, esse é um erro que pode fazer com que a organização passe por situações complicadas — desde a interrupção de seus serviços até mesmo a falência. Para entender melhor a importância dessa prática, eis um post completo acerca da rotina de backup, as principais razões para aplicá-la de forma eficiente. 

Atualmente, muitos gestores não percebem a importância estratégica da rotina de backup. Esse tipo de situação se dá principalmente pelo fato de que muitos deles nunca precisaram utilizar as suas cópias de segurança. Imagine a seguinte cena: em uma determinada empresa, um processo sensível acabou por corromper um determinado dado muito importante para a operação. Nesse momento, o analista lembra que possui um backup, bastando realizar o restore. Contudo, ao buscar pela cópia de segurança, ele percebe que ela está corrompida. Em um caso como esse, será necessário muito esforço para recuperar um dado que poderia ser simplesmente acessado pelo backup. Pode ser que a informação nem consiga ser resgatada, gerando assim um problema maior ainda. Eis, a seguir, as principais respostas à necessidade de backup nas empresas.

Segurança da informação
Quem acompanha as notícias sobre tecnologia em sites e blogs especializados tem visto em primeira mão o aumento crescente dos ataques de hackers. Uma das modalidades de abordagem utilizadas pelos cibercriminosos conta com o auxílio de ransomwares. Esses códigos invadem o computador das companhias por meio de brechas e realizam o sequestro de informação, fazendo uso da criptografia para impedir que o usuário tenha acesso aos dados. A única maneira de liberar as informações é pagando um resgate em bitcoins ao invasor. Uma rotina de backup pode livrar a empresa de diversos prejuízos com esse tipo de ataque, pois basta que o setor de TI recupere a cópia de segurança e formate o equipamento.

Continuidade dos negócios
Hoje, grande parte das companhias usa a tecnologia em seus processos e é dependente de um funcionamento correto de todas as engrenagens de seus sistemas. No entanto, falhas podem acontecer a qualquer momento e dados corrompidos podem se tornar um problema. A rotina de backup auxilia a continuidade do negócio, sendo que sempre que existir a possibilidade de um evento prejudicar a fluidez das atividades dentro da empresa com a perda de informações, será possível resgatar tais dados por meio da cópia de segurança.

Confiabilidade dos dados
A informação é um ativo digital sensível: ela pode ser corrompida por ser fruto de problemas dos sistemas; ser alterada sem permissão, por meio de falha humana; ou até mesmo acabar danificada por algum tipo de desastre natural que atinja a companhia. A partir disso, observamos a importância de manter a confiabilidade dos dados, ou seja, ter a certeza de que eles estão corretos e representam de forma fidedigna a informação. O backup é a melhor forma de manter essa confiança.

Mobilidade
Muitas vezes é preciso movimentar dados sensíveis de um local físico a outro. Por conta da importância estratégica de algumas informações, pode ser que o envio eletrônico não seja uma opção. Uma cópia de backup é formada pelas informações condensadas de um sistema, de um banco de dados ou até mesmo de toda a empresa. Além disso, pode ser transportada facilmente em um HD externo, facilitando a movimentação física de uma base de informações.

Diagnóstico para a criação de uma rotina de backup
Para definir a criação de uma rotina eficiente de backup é preciso realizar um levantamento para verificar quais deverão ser as diretrizes utilizadas no processo. Entre as principais informações que devem ser levantadas estão:

Quantidade de dados
Todas as interações diárias de uma empresa geram dados. É preciso saber o número de informações contidas que deverá fazer parte da cópia de segurança. Claro que existe a possibilidade de realizar mais de um backup, ou seja, criar vários processos para diferentes fontes de dados. O tempo de criação da cópia de segurança está ligado diretamente à quantidade de informações que deverá fazer parte dela, por isso, o interessante é dividir os dados e criar mais de uma rotina de backup.

Sensibilidade dos dados
Informações sensíveis tendem a necessitar de um maior número de backups, pois elas podem mudar rapidamente (várias vezes ao dia). Dessa forma, sua periodicidade deve ser maior. Por exemplo, para a base geral da empresa, pode-se definir a criação de um backup todos os dias ao final do expediente. Já para dados sensíveis, é necessário aumentar essa periodicidade, realizando as cópias duas, três ou mais vezes ao dia a depender das mudanças na base de dados.

Como pode ser realizada a transferência
A nuvem tem sido o destino predileto para salvar as suas cópias de segurança. Um dos principais pontos que devem ser observados na hora de realizar uma transferência como essa é o quanto o servidor pode aguentar. Cópias de backup, a depender dos dados copiados, podem ser muito grandes e dificultar uma transferência para os servidores remotos na nuvem. É preciso analisar juntamente ao prestador de serviço como sua solução vai se comportar no seu caso.

Onde salvar os backups
Uma das boas práticas do backup é contar com mais de uma cópia de cada base, pois esses dados também estão sujeitos a se perder, ser corrompidos ou qualquer outro evento que inviabilize o seu uso. Por isso, o ideal é contar com no mínimo três locais para o armazenamento de suas cópias de segurança: a nuvem, um servidor local e um HD externo (ou máquina fora do ambiente da empresa).


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: