Importações fazem superávit comercial cair 19,6% de janeiro a julho

Apesar do recuo, o resultado foi o segundo melhor da história para o período

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Importações fazem superávit comercial cair 19,6% de janeiro a julho, revela MDIC

O crescimento das importações em ritmo maior que o das exportações fez o saldo da balança comercial cair nos sete primeiros meses do ano. Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o país exportou US$ 34,1 bilhões a mais do que importou no período de janeiro a julho. O superávit é 19,6% inferior ao do mesmo período do ano passado (US$ 42,4 bilhões). Apesar do recuo, o superávit foi o segundo melhor da história para o período. Em julho, o Brasil exportou US$ 4,2 bilhões a mais do que comprou do exterior. Apesar da queda de 28,2% em relação ao superávit registrado em julho do ano passado, o valor é o terceiro melhor para o mês, perdendo para julho de 2017 (US$ 5,8 bilhões) e de 2016 (US$ 4,5 bilhões).

Depois de fechar 2017 com superávit recorde de US$ 67 bilhões, o saldo da balança comercial tem registrado recuo no primeiro semestre, provocado principalmente pelo desempenho das importações, que cresceram 21,1% pela média diária, somando US$ 102,4 bilhões nos sete primeiros meses do ano. A alta, de acordo com o ministério, decorre da recuperação da economia, que impulsionou as compras externas, principalmente de bens de capital (máquinas e equipamentos usados para a produção), cujas importações subiram 83,7% de janeiro a julho.

As exportações também aumentaram, mas em ritmo menor. Nos sete primeiros meses de 2018, o país vendeu ao exterior US$ 136,5 bilhões, valor 7,3% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. Segundo a pasta, as vendas de produtos primários, como commodities (bens primários com cotação internacional) subiram 10,6% de janeiro a julho. As vendas de produtos manufaturados aumentaram 6,6% em 2018, mas as exportações de bens semimanufaturados acumulam queda de 1,4% no ano, influenciadas principalmente pela queda no preço internacional do açúcar bruto.

Oficialmente, o ministério estima superávit em torno de US$ 50 bilhões neste ano. Segundo o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central, os analistas de mercado preveem superávit de US$ 58 bilhões para este ano.


leia também

Alta das importações volta a reduzir saldo da balança comercial - Compras de bens de capital no exterior aumentaram 36,2% em abril, de acordo com o MDIC

Crescimento das importações diminui saldo da balança comercial em março - Apesar da retração, o indicador acumula o segundo melhor resultado da história, avalia Mdic

Importações fazem superávit cair 17% no primeiro semestre - Alta nas importações é explicada pela recuperação econômica

Saldo da balança comercial do Sul avança 40% até abril - Diferença entre exportações e importações chega a R$ 3,7 bi

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: