Setor de eletroeletrônicos cresce 14,6% até junho

Eletros estima vendas até 15% maiores neste ano

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Setor de eletroeletrônicos cresce 14,6% até junho, revela Eletros

O volume de vendas do setor de eletroeletrônicos, que representa cerca de 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, cresceu 14,6% no primeiro semestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado, passando de 45,5 milhões de unidades vendidas da indústria para o varejo para 52,1 milhões. O balanço foi divulgado pela Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros).  Segundo presidente da Eletros, José Jorge do Nascimento Junior, o grande impulso para o aumento das encomendas do setor foram os televisores, cujas vendas apresentaram aumento de 29,98% em comparação ao ano anterior por causa da Copa do Mundo e do desligamento do sinal analógico. A comercialização de TVs passou de 5,1 milhões de unidades no ano passado para 6,5 milhões em 2018.

A linha de portáteis registrou alta nas vendas de 12,9% no período, com 30 milhões de equipamentos comercializados. Já a linha branca (refrigeradores, fogão, entre outros) teve uma expansão de 2,7%, com 6,7 milhões de unidades vendidas. A linha marrom, por sua vez, que inclui TVs e aparelhos de som e vídeo, cresceu 20,2%. O crescimento, no entanto, foi relativizado pelo presidente da Eletros. Segundo ele, a comparação deste ano é com o fim de um período de crise, que durou entre 2015 e 2017. Além disso, o setor sentiu os efeitos da greve dos caminhoneiros. O prejuízo ainda não foi contabilizado. 

“A gente vinha em uma retomada de crescimento. Os números mostravam um aumento na geração de empregos e também na produção industrial, com aumento do consumo. Passamos 2015, 2016 e 2017 em uma crise, com investimentos acanhados, com instabilidade econômica e política também. Quando estamos na retomada disso, surge uma greve totalmente inusitada, que chegou a parar muitos estados do país. Foram 10 ou 12 dias de greve, mas com consequências gravíssimas para a economia”, ressaltou. 

Para este ano, a expectativa da Eletros é de vendas entre 10% a 15% maiores que as do ano passado. No entanto, o presidente da entidade declarou que a expectativa deverá ser revista em setembro e pode ser menor do que a esperada.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: