PMEs têm dificuldades com infraestrutura de TI

Dados sobre clientes podem ser perdidos, alerta Kaspersky Lab

Da Redação

redacao@amanha.com.br

PMEs têm dificuldades com infraestrutura de TI, alerta Kaspersky Lab

Conforme os negócios se expandem, cada vez mais as empresas adotam serviços em nuvem, na tentativa de tornar o trabalho de seus funcionários mais eficiente e flexível, além de reduzir despesas.  Quase dois terços (63%) das companhias que empregam até 249 pessoas usam um ou mais aplicativos de negócios fornecidos como um serviço, de acordo com uma recente pesquisa feita pela Kaspersky Lab, empresa russa produtora de softwares de segurança para a internet.  No entanto, atendência de usar serviços em nuvem também pode ter efeitos negativos, como a perda de controle sobre a segurança dos aplicativos e os dados valiosos de clientes.

Tanto as menores empresas quanto aquelas que estão passando por uma fase de rápido crescimento veem as tecnologias de nuvem como uma oportunidade de cumprir suas tarefas corporativas de modo mais eficiente e econômico. Metade (50%) das empresas com até 49 funcionários (microempresas) e 40% das empresas que têm entre 50 e 249 funcionários (as pequenas e médias, ou PMEs) têm pessoas que trabalham regularmente fora do escritório e que precisam acessar dados e aplicativos em nuvem. E conforme essas empresas se tornam maiores, têm uma necessidade crescente desse serviço: 73% das PMEs e 56% das microempresas usam pelo menos um deles. No entanto, a utilização ativa das nuvens também tem outro lado: as infraestruturas de TI das organizações consolidam cada vez mais serviços e aplicativos, mas, às vezes, não conseguem fornecer os níveis necessários de controle e visibilidade. Consequentemente, 66% das micros, pequenas e médias empresas têm dificuldades para gerenciar essas infraestruturas de TI heterogêneas. 

O aumento da complexidade requer que as PMEs adotem uma nova abordagem de gerenciamento da infraestrutura. Porém, o problema é que os especialistas em TI internos nem sempre têm qualificações suficientes para enfrentar esse desafio. "Para aproveitar as vantagens da computação em nuvem, independentemente de seu estágio de desenvolvimento, as empresas precisam gerenciar uma série de plataformas e serviços em nuvem com eficiência. Para isso, é fundamental a capacidade de reconhecer claramente quem é responsável pela cibersegurança das infraestruturas de TI, cuja complexidade aumenta continuamente. Quer seja gerenciada por uma equipe interna ou por um consultor confiável, a cibersegurança não pode ser negligenciada", sugere Maxim Frolov, vice-presidente de vendas globais da Kaspersky Lab. 


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: