BC anuncia mais injeção de dólares no mercado de câmbio

Instituição poderia ir além do recorde de recursos utilizado no passado

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Dólar sobe mesmo com atuação do Banco Central

O Banco Central informou que continuará ofertando contratos de swap cambial, equivalente à venda futura de dólares, ao longo da próxima semana. O objetivo é prover liquidez ao mercado de câmbio, evitando a volatilidade da moeda norte-americana frente ao real. “O BC reafirma que não vê restrições para que o estoque de swaps cambiais exceda consideravelmente os volumes máximos atingidos no passado”, afirma o órgão, em nota. Além dos contratos de swap, o Banco Central está realizando nesta segunda-feira (25) leilão de linha (venda de dólares com compromisso de recompra) no valor total de US$ 3 bilhões.

O presidente do BC, Ilan Goldfajn, tem defendido a intensificação do uso de swaps cambiais, em coordenação com o Tesouro Nacional, para dar liquidez ao mercado de juros. Ele afirmou que a instituição poderia ir além do recorde de recursos utilizado no passado, de US$ 115 bilhões. “Vamos intensificar seu uso no curto prazo”, declarou. Na última terça-feira (19), no entanto, com menos pressões do mercado internacional, o (BC deixou de vender dólares no mercado futuro pela primeira vez desde 11 de maio.

O dólar se manteve estável nesta segunda-feira pela manhã. A moeda norte-americana estava sendo cotada a R$ 3,78 por volta das 13h30, mesmo valor do fechamento da última sexta-feira (22). 


leia também

Ação do BC de oferecer dólares contém alta da moeda - Banco Central ofertará US$ 20 bilhões em swaps cambiais

Alta do dólar é internacional e Brasil não está imune - Segundo Eduardo Guardia, o governo deve manter ajuste fiscal

Após intervenção do BC, dólar cai 5,6% - Moeda fecha a semana com desvalorização de 1,6%

BC afirma que não elevará juro por causa do câmbio - Moeda norte-americana sobe 2,8% e bolsa recua

BC anuncia injeção extra de US$ 20 bi para segurar dólar - Goldfajn não descartou adotar outras medidas de intervenção

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: